sábado, 11 de abril de 2015

As coisas feias que acontecem por aí

Temos assistido nos últimos dias a alguns actos de violência que nos fazem questionar até que ponto somos realmente animais racionais. De vez em quando, somos apanhados de surpresa por notícias horrendas de pais que matam filhos, filhos que matam pais, e por aí fora. Por um lado, fico contente que estas notícias ainda tenham o poder de nos chocar. A verdade, é que morrem milhares de crianças todos os dias vítimas de violência, vítimas de fome, vítimas de doença... mas estão longe. Felizmente, esse não é o caso no nosso país.
 
Alguma coisa nos está a falhar. Eu sei que, perante estes casos, existe sempre uma grande vontade de punir os agressores/assassinos. Imagino que, para os familiares da vítima, seja difícil pensar em outra punição que não uma morte dolorosa que, de alguma forma, vingue o ente querido que se perdeu. Contudo, a morte e a tortura, vêm sido usadas há imensos anos (desde sempre?...) e não parecem ter melhorado o panorama. Vingarmo-nos é uma coisa, querer melhorar as coisas é outra. Penso que todos temos a noção de que uma criança não deve ser educada com base em castigos físicos (o tradicional "bater"). Assim, por que razão defendemos este tipo de punição para os adultos? Não acredito que maltratar alguém incuta nessa pessoa o amor e respeito cuja ausência a levou aos seus actos criminosos. Antes pelo contrário. Além disso, reparem como a vítima que castiga passa rapidamente para o patamar de quem a vitimizou. Parece-me um contrassenso que esta troca de papéis se faça com tamanha facilidade...
 
A solução certamente não é fácil. E não é fácil porque requer medidas que vão além de uma simples poda nos ramos periféricos da árvore; há a necessidade de trabalhar desde a raíz. Não nos podemos limitar a punir os outros, é preciso reabilitar quem fez mal e, se indicado, dar-lhe oportunidade de viver outra vez. Claro que nada disto resulta se continuarmos a ser educados segundo o princípio do "olho por olho, dente por dente" e outros que tais. Por isso, acredito que a principal intervenção deve ser, antes de mais, a educação dos mais pequeninos com base no respeito e no amor pelos outros.
 
 
 
Inté*

9 comentários:

o bo(l)bo da corte disse...

Acredito que seja esse o princípio da solução, mas a verdade é que perante estes atos bárbaros, não consigo ser tão benevolente.
Tens toda a razão, pois desde que há notícia da existência de seres humanos, o castigo tem sido usado sem resultados visíveis. Mas é da natureza humana e não creio que vá mudar. Nunca.
Da minha parte, confesso que quando soube os motivos que fizeram despenhar o avião nos Alpes, fiquei com vontade de apanhar os bocadinhos todos daquele co-piloto, colá-los e ressuscitá-lo, para poder voltar a matá-lo, de preferência de uma morte lenta e dolorosa. :/

Tulipa Negra disse...

"Alguma coisa nos está a falhar." Não poderias ter dito melhor. Há muita gente que tem muita coisa em falta. Acredito que o ser humano esteja destinado a actos de vontade, compreensão e solidariedade e, sinceramente, acredito que seria possível tornar o mundo um lugar melhor mas, tal como disseste, "alguma coisa nos está a falhar".

Marcia Leonor disse...

Tem se visto muitas noticias violentas. Este mundo em que vivemos...

Pretty in Pink disse...

Concordo!!
Realmente não percebo o que se está a passar mas isto devia ser muito bem visto e serem tomadas medidas porque isto começa em algum sitio...

Beijinho*

Gaja Maria disse...

A mim o que me aflige, além do resultado horrendo deste tipo de actos, é pensar o que raio faz com que as pessoas façam este tipo de coisas, quais as razões, os motivos, o que se passará de errado naquelas cabeças que não as deixa ver que estão erradas, será que são os valores que estão baralhados ou são eles???

Mam'Zelle Moustache disse...

É complicado aceitar que haja pessoas capazes de actos, a meu ver, tão inimagináveis.
É óbvio que o mais importante é educar convenientemente os mais pequenos. Mas isso não é fácil na prática. A mim, pelo menos, nunca ninguém me ensinou como fazer...

S* disse...

As pessoas parece que andam loucas...

AvoGi disse...

É um mundo diferente daquele que imaginei para os meus netos.
Kis :>)

pé-de-cabra disse...

Era matá-los bem mortos e a seguir enterrá-los vivos. ;P