terça-feira, 27 de março de 2012

Manhê eu amo você

Quando o Piratinha esteve doente e com a pata engessada, não o deixávamos andar à solta no Jardim com medo de que ele se enfiasse em algum buraco ou comesse alguma coisa que lhe fizesse mal. Então, prendíamo-lo com uma trela bastante comprida junto à garagem para se poder abrigar se assim quisesse. Um certo dia, a Manhê chega a casa muito aflita e chama-me da rua.

- O que é?

Ela aponta para a porta da garagem e diz:

- Não era suposto o cão estar na ponta da trela?!

(E estava. Mas como a trela estava dobrada e o cão estava dentro da garagem, dava a impressão de que tinha fugido...)

"Ponta da trela"... eufemismos!


Inté*

8 comentários:

Julie D´aiglemont disse...

"Ponta da trela" ou, na perspectiva do cão, "puta da trela", eheheheh!

Ca disse...

Ehehe ilusões de óptica :P

Susi disse...

Muahahahahahh, sim o que vale é que o cão estava mesmo na ponta da trela :p

guess disse...

Lá vai um cigano preso
Lá vai o meu lindo bem
Lá vai o cigano preso
Sem fazer mal a ninguém

Sem fazer mal a ninguém
Sem roubar coisa nenhuma
Foi só por roubar uma corda
E na ponta vinha uma mula

Paula disse...

Ahahahah! O Piratinha tem muito que contar aos netos! E tu também!...

SuperSónica disse...

ahahahah eufemismos, ilusões, utopias...por aí a fora!!!!!

Estudante disse...

Julie D'aiglemont: ahaha xD bem visto!

Ca: é mesmo ;)

Susi: estava sim! :D

guess: :D onde aprendeste essa?

Paula: :P

SuperSónica: x)

" Smile disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.