quarta-feira, 20 de junho de 2012

Uma palavrinha

A todos aqueles que ingressaram em cursos de Medicina de 4 anos:

Em 6 anos é difícil; em 4 é impossível.



Inté*

15 comentários:

ʝoana disse...

Mas onde existem cursos de medicina de 4 anos em Portugal?

Luciano disse...

A minha irmã concluiu o dela em 6 anos. Realmente... :\

Estudante disse...

Joana: são cursos para licenciados em área da saúde. Podes ler mais aqui: http://noticias.universia.pt/mobilidade-academica/noticia/2008/07/25/207364/novo-curso-medicina-na-universidade-do-algarve.html

Luciano: claro. E olha que 6 anos não são anos a mais...

...Ju... disse...

vai te cair meio mundo em cima, apesar de teres toda a razão!

Miss Worm disse...

Se tu dizes eu acredito :)

João Pedro disse...

Força melher!

SuperSónica disse...

Nem sabia que havia de 4 anos. Acredito mesmo que seja impossível, medicina tem muitas áreas e vocês têm de saber de tudo um pouco antes da especialização certo? Tenho uma prima que começou agora a especialização dela.

Estudante disse...

...Ju...: :P temos de manifestar a nossa opinião!

Miss Worm: ;)

João Pedro: ahaha x)

SuperSónica: sim, é isso mesmo ;) temos de adquirir conhecimentos um pouco por todas as áreas; a especialização é só depois do ano comum (ou sétimo ano).

oystershells disse...

Depende: se for para formar daqueles médicos de passar receitas e que nem olham para o doente, 6 meses era quanto bastava e só para aprenderem a consultar o prontuário e aprender a escrever com aquela caligrafia de chimpanzé. ahahah

Estudante disse...

oystershells: não me parece que o objectivo seja formar médicos desses ;) para isso nem vale a pena abrir vagas.

Ju disse...

coitadinhos :S boa sorte e força ****

guess disse...

Em 4 deve ser mais fácil... pelo menos o sofrimento não é tão prolongado. xD

Sancho Pança disse...

Em quatro é à pressão, como a imperial. eheheh

Estudante disse...

Ju: ;)

guess: isto não é sofrimento nenhum :P

Sancho Panço: não sei é se esta fica bem tirada...

Gasper disse...

4 anos? Agora é que nunca mais vou ao médico.