sexta-feira, 17 de junho de 2016

Os clichés... esses grandes sacanas

Eu detesto clichés. Detesto lugares comuns, frases feitas, ideias que alguém quer à força colocar na nossa cabeça, porque são "coisas bonitas", porque "era assim que devia ser"... eu detesto clichés.

Eu não quis ser médica desde que nasci. Esse é o meu grande anti-cliché. Eu tive bonequinhos com estetoscópios e termómetros com que brincava muito alegremente. Mas eu só quis ser médica a partir dos 12-13 anos. Até lá, eu queria ser veterinária. Sim, eu sei, os veterinários também são médicos e com 12-13 anos é-se, para a maioria das mães, um bebé. 

Aquilo que eu quero dizer, é que o meu amor pela Medicina e este meu percurso de vida talvez não se revista de todo aquele romantismo que vemos nas novelas, em que o Médico sempre quis ser Médico e conseguiu salvar o irmão de um engasgamento quanto tinha apenas 4 anos de idade... talvez a minha vida até desse uma novela, mas não deste teor. E ainda assim, eu vejo a Medicina como a profissão mais bonita do Mundo.

Por outro lado, existem clichés, que a meu ver não deveriam ser encarados como tal, uma vez que temos tendência a subvalorizá-los quando pensamos neles dessa forma. Nesse sentido, tenho pena, por exemplo, que muitos dos princípios básicos e valores que deveriam prevalecer numa sociedade de bem, sejam encarados como não mais do que frases bonitas de boca de Miss Universo.

Conceitos como a bondade, a verdade, a justiça são quase ridicularizados!... quase como se se tratassem de coisinhas secundárias, pormenores e picuices que só existem nos catecismos.

Um brinde aos bons clichés!


Inté*

4 comentários:

Observador disse...

Não sou apreciador de clichés. São uns malucos.

homem do leme disse...

De médico e de louco, todos temos um pouco.
Piiiimmmba! eheheheh

Ó menina disse...

Quem não tem princípios dificilmente os reconhece, quando afirmados por outro...

Estudante disse...

Observador: :P

homem do leme: ahahah :D boa!

Ó menina: sim, é verdade ;)