domingo, 19 de junho de 2011

Vem aí o Verão...

... e com ele os "avecs". Os avecs são os emigrantes que chegam agora por esta altura com o seu português afrancesado e outras síndromes.

Uma das síndromes é a chamada "mais oui, la france é que rules!" e que se caracteriza por na França ser tudo muito melhor do que aqui. Não interessa o que seja, produtos de cá são sempre inferiores.

A segunda das síndromes é intitulada "je sais que existe disso ici há um milénio mas quero ter a certeza". Uma vez perguntaram-me se havia au Portugal pudins sem açúcar. E eu: "O quê? Pudins Boca-Doce?! Parece que apareceu agora praí qualquer coisa..."

A terceira é a do "deixa-me lá fingir que já não sei falar a minha língua". Caracteriza-se por uma insistência doentia em dizer duas palavras francesas em cada três e em aportuguesar termos francos. Mais ou menos: "Faites attention, que ainda partes as gambas!"... e por aí fora.

A quarta e não menos importante: "Je suis esfomeado na França, mas aqui tenho um Mercedes". Penso que não necessita elucidações.


Inté*

15 comentários:

eu, que tenho alguém igual a mim. disse...

uma marcha aquática é igual às outras só que dentro de água :P ahah
Quanto ao teu post, tenho muito disso por aqui xD

Estudante disse...

Nunca tinha ouvido falar! Depois tens de colocar fotos ;)

Imagino... aqui ao pé de mim são tantos, que durante o mês de Agosto não há comida nos supermercados... x)

CA disse...

Ah ah, muito bem caracterizados.
Coitados, no Metro de Paris parecem rafeiros abandonados. Sempre com aquele ar triste de meter dó e depois vêm cá uma vez por ano para se sentirem gente.

binocas disse...

muito, muito bom! têm uma indumentária e maneira de falar (e comportar-se) que os distingue da demais fauna emigratória. no hiper nota-se logo que são avecs porque ou levam a famelga tooooda a reboque (e a Shô. Dona Josefa que é vizinha e é como família..) ou os pais de família vão de calções, uma camisola alusiva a qualquer coisa nacional (adoram vestir-se com o equipamento da Selecção Nacional de Futebol, ou então, pelo menos a camisola do Figo), umas sandalocas, um brinquinho à CR, uma bolsa tiracolo (ainda opcional) e qualquer coisa de ouro bem grossa. é o furooor! ainda conduz como um maníaco, e quase que se gaba que mesmo que mate alguém o seguro paga. :D

"Qual Sir Richar Attenborough na Selva Amazónica, adoro estudar esta fauna que migra sazonalmente para a Selva Lusitana."

João Pedro disse...

No metro, no RER, na rua, onde quer que estejam parece que vão puxar duma arma e matarem-se. Chegam aqui, falam e arrepiam-me logo.
"Pedrô, Pedrô, em Frrrança isso funciona muito melhor, é maiz rrrápido! Isso é mersmo um atrraso de vida."
Respondo eu: Oh Loic isso é o ar condicionado não serve para secar as mãos.

Estudante disse...

CA: isto aqui levanta-lhes o ego :P

Binocas: agora já tenho a descrição muito mais completa! :) Esqueci-me de falar da síndrome do franco... agora sem francos fizeram-se uns forretas de m***.

João Pedro: Ahahaha xD muito bom! Se isso foi real, só tenho pena de não ter visto.

Paula disse...

Pois a mim, uma vez num mercado em França, uma chica esperta perguntou-me apontando comn o dedo se sabia o que eram os "artichauts"... quando respondi que por cá lhe chamamos alcachofras e que é dos poucos legumes de que não gosto, arregalou os olhos e disse: "ah, lá em Portugal também há disto?! enquanto lá vivi nunca vi nenhuma!"
Valha-me Santa Engrácia... e os ignorantes somos nós!...

Estudante disse...

x)enfim...

Nawita disse...

Epá, não somos todos assim!

Mas olhem que no que diz respeito às palavras francesas que nos saltam a meio da conversa, é simples, estamos habituados a falar e pensar em francês, depois sai porcaria.

a mim o que entristece são os pais que insistem em falar francês com os filhos em vez de lhes ensinarem português.

J* disse...

Diz-me que tu moras em Viseu e eu compreendo-te perfeitamente. É que em Agosto é uma enchente que até dói.
E eu tenho tantas saudades do Porto nessa altura...

Estudante disse...

Nawita: eu sei x) também tenho família emigrante. É só uma brincadeirinha :P

J*: não é Viseu mas também é interior ;)

Anónimo disse...

Quando vou a Portugal, tambem gosto de ver todos esses empresários e gestores com altos ensinos superiores, que a cada ano vêm lamber o cu dos meus velhos (que têm somente a 4 classe ) para dar-lhes somente ums trabalhitos na casa.
Vao se foder com as vossas descriminaçoes, somos todos differentes nas nossas differencias.
Beijos de Paris

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

O povo tuga, seja ele "nacional" ou "emigrante" gosta de mostrar que tem, que sabe, que é o melhor...

Nós por cá tb temos as nossas manias parvas, mas...
algo que acho bastante ridiculo é mesmo um emigrante numa frase de 20 palavras a intercalar duas em português, com outras duas do pais para onde emigrou....
- Pronstus, pá!! A gente já sabe que voçês estão num pais melhor, que ganham mais e que até aprenderam a falar outra lingua (mais ou menos).
Ainda dão um nó na lingua com tanta mistura de idiomas!

. Sofia . disse...

Felizmente, nunca me deparei com emigrantes assim.
Os da minha família falam português. Excepto um que é mesmo suiço (casado com uma prima) e não sabe falar português. Bem tenta até e percebe-nos um pouquinho, mas falar não sabe. Nestes casos, percebe-se.
Se me falassem assim, eu acho que me ria na cara deles.

Estudante disse...

Especialmente Gaspas: "um nó na língua" x) muito bom!

.Sofia: são umas personagens engraçadas ;)