terça-feira, 17 de abril de 2012

Não estava à espera...

Ontem, findo o meu dia de estágio, apanhei o autocarro de volta para casa. A certa altura do percurso, noto um grande aglomerado de gente e um perímetro demarcado por aquelas fitas vermelhas e brancas de plástico. A primeira coisa que pensei foi: "Ui, não me digam que há festa?!" (o que faz de mim uma pessoa extremamente optimista), mas toda a minha alegria se foi quando dei conta de que o motivo de tamanho aglomerado se devia a um... cadáver.

A primeira coisa que as pessoas perguntaram no autocarro foi algo do género: mataram-no? A avidez de drama e espectáculo destas pessoas chega a meter dó.

Só vos escrevo isto para vos dar conta de como as pessoas se podem tornar em verdadeiros abutres. A última vez que vi aquele local tão cheio foi num concerto já há alguns anos. Não percebo o gosto que estas pessoas têm em estar ali especadas a olhar para um cadáver e para a mãe do falecido (segundo contaram depois). Ao menos por respeito à dor da mãe podiam evitar ficar ali a cuscar e a atirar palpites como se estivessem num circo.

Às vezes as pessoas conseguem meter-me nojo.



Inté*

6 comentários:

Um olhar disse...

Olááá! ;)

E quando saem do local, já levam tema para a próxima novela da TVI.
E nos acidentes de trânsito, conseguem fazer um orçamento completo. lol

Pronto, está bem assim?
Tenho que me pôr a pau contigo, que isto o Mundo dá tanta volta e nunca se sabe se um dia não te vou parar às mãos e ainda me tiras um rim para vender no mercado chinês de "sobresselentes". loooooooooool

João Pedro disse...

São coisas que não se vêm todos os dias, repara que até escreveste sobre isso, é natural a curiosidade labrega e nunca vai haver hipótese de te safares disso.

Paula disse...

Não sei donde saem, mas aos abutres cheira-lhes logo a carniça... Horrível.

Estudante disse...

Um olhar: x) ahaha! Essa do rim espero que não seja preciso!

João Pedro: mas ficarem ali a olhar e a comentar com os familiares presentes?... chiça --'

Paula: é verdade!

anokas disse...

é a sede do drama e do que é mau. se reparares as pessoas acorrem rapidamente a tragédias, mortes, acidentes de viação, tudo o que lhes cheirar a sangue, são tipo vampiros :)

Estudante disse...

anokas: vampiro parece-me bem :P