domingo, 11 de setembro de 2011

7 Maravilhas e Meia

Acho muito bem que a RTP1 promova programas que nos devolvam o amor-próprio. Programas que nos dêem a conhecer o que temos de bom e por isso, pessoalmente, achei a eleição das Sete Maravilhas Gastronómicas portuguesas uma iniciativa interessante. Provavelmente, por a eleição estar sujeita à votação do público, é possível que certas iguarias tenham sido descartadas injustamente e que o valor do concurso seja exactamente o mesmo que a eleição do Maior Português de Sempre em que o Salazar ganhou e o Aristides Sousa Mendes ficou em terceiro... andamos mesmo baralhadinhos de todo.

Só tenho a lamentar que na gala de ontem os bailarinos e os espectáculos se cingissem tanto ao tema e dançassem vestidos de cozinheiros e dentro de panelas... um bocado desajustado, do meu ponto de vista.


PS: amanhã é o meu primeiro dia de aulas. O primeiro dia de 9 longos meses ;)




Inté*

7 comentários:

Anónimo disse...

Bom trabalho ;)

Eu disse...

Pois é, foi este público que deu o poder a este governo e está tudo dito loool.
Não vi o programa, mas se vim até cá, é suposto dizer qualquer coisa, não?... loool

Bom aproveitamento.

Susi disse...

Olha, eu já ando cansada de se fazerem as 7 maravilhas de tudo :D, era com monumentos, depois era as maravilhas naturais, agora as da gastronomia... estou para ver o que inventam para a próxima :D ahah.

Boa sorte para as aulinhas! :)

Semprábrir disse...

Num bi esse pugrama.
Desejo-te um bom "regresso às aulas".
Vê se arranjas um bocadinho para vir aqui, que isto de estudar muito dá cabo dos olhos. lolol

Estudante disse...

Anónimo: obrigada :)

Eu: sim, não podemos esperar muito mais de quem elegeu o coelhinho.. :P obrigada!

Susi: já não me lembrava das maravilhas naturais x) obrigada!

Semprábrir: obrigada! ahaha x) a quem o dizes!...

Teresa disse...

Olha que se há coisa díficil é distinguir só 7, entre sete...centas mil!
Faltou o cozido à Portuguesa (que foi hoje o meu jantar e ainda 'tou aqui que nem posso), a Feijoada à Transmontana, o Arroz de Cabidela, os Maranhos da Sertã, os Rojões à Minhota. Já para não falar nas 1001 maneiras de fazer bacalhau. Nem dos milhares de doces tradicionais que batem, de longe, os pastelinhos de Belém (ok, sou suspeita, pq não acho que os Pasteis de Belém sejam uma obra prima!...)
Enfim, como ser magra num país como o nosso???
Quantos às couves bailarinhas, nem sei como perdi tal espectáculo!
;-)

Estudante disse...

Teresa: é por isso que acho que é injusto elegerem apenas sete pratos quando temos tantos maravilhosamente bons x) Sim, é difícil (muito, diria eu) ser magra num país destes!... já para não falar do colesterol e outras coisas mais :P