sábado, 10 de setembro de 2011

Estado deixa de comparticipar pílula e três vacinas

Muito tenho lido eu sobre este assunto e, embora já me tivesse comprometido a não falar sobre este retrocesso não resisti.

"O Estado vai deixar de comparticipar pílulas anticoncepcionais e três vacinas vendidas nas farmácias (cancro do colo do útero, hepatite B e contra a estirpe do tipo B do vírus da gripe). O objectivo da medida é arrecadar 19 milhões para os cofres do Estado" - http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=62&id_news=529826

Um bom sistema de Saúde aposta na prevenção primária e não anda a correr atrás do prejuízo. Quer isto dizer que, ao tentar evitar o aparecimento de doença, a população é mais saudável e permitirá assim poupar nos gastos do tratamento. Não comparticipar vacinas é uma medida que a curto-prazo permite o ganho de algum dinheiro mas que, a longo-prazo, leva a um maior número de internamentos e a um maior gasto de recursos, nomeadamente nos hospitais que já estão endividados até ao telhado.

Em Portugal. o cancro do colo do útero corresponde, aproximadamente, a 12% de todos os cancros que afectam as mulheres, minhas grandessíssimas bestas. Que crânios temos nós no nosso Governo que permitam que uma vacina recentemente inserida seja agora rechaçada desta maneira?!

E a pílula? Num país com políticas maioritariamente anti-natalistas agora deixam de comparticipar a pílula?! É um incentivo aos nascimentos? Aos abortos?.. A pílula é uma necessidade básica hoje em dia, não só para prevenir a fecundação mas também como tratamento de distúrbios hormonais. Qual é então a vossa justificação para a não comparticipação deste medicamento?

Estas novas medidas afectam sobretudo o género feminino e em certa medida, são um ataque à emancipação da mulher.. o que é que se segue? Deixarmos de votar?


Inté*

11 comentários:

Boneca de Trapos disse...

não poderia concordar mais. É um desrespeito incomensurável pela mulher. Além disso, estao a criar mais um ciclo de pobreza para que os pobres fiquem mais pobres. Deixando de ser comparticipada a pílula, as pessoas/famílias mais pobres deixam de poder comprá-la e mais facilmente têm outro filho. Se têm outro filho, as despesas aumentam e a pobreza desta família agravasse e continua a nao ter dinheiro para a pílula, etc,. etc... Pelo menos existe o preservativo. Isto só mesmo num governo de direita. Quem deve estar orgulhosa por esta medida é a igreja... Há medidas que se entende que combatam a crise, há outras que surgem apenas com o pretexto da crise... temos de estar atentos

Semprábrir disse...

Ora bem, o crânio da saúde é o mesmo que fez a "reestruturação fiscal" e está tudo dito.
Espero que tomem medidas idênticas em relação ao Vagra, se não vamos voltar às famílias com um rancho de filharada. loool
Estamos bem entregues...

Akkot disse...

Eu tenho que discordar totalmente contigo pois essas mesmas vacinas e a pilula continuam a ser distribuidas GRATUITAMENTE nos centros de saude e hospitais...

Eu acho que os pobres preferem nao pagar nada por uma vacina e pela pilula do que ter a pilula e as vacinas apenas comparticipadas...

Akkot disse...

Esqueci-me de colocar da outra vez, mas aqui esta a fonte:
http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=1984013&page=-1

Estudante disse...

Boneca de Trapos: é um ciclo vicioso!

Semprábrir: estamos MESMO bem entregues, não haja dúvida!

Akkot: a pílula é distribuída gratuitamente nas consultas de planeamento familiar nos centros de saúde. Como em portugal existem milhares de pessoas sem médicos de família e muitos outros sem centro de saúde, não me parece uma medida acertada. Para além disso, há muitas pessoas que tomam a pílula por outros motivos que não o de anti-concepção... e portanto, não recebem a pílula gratuitamente.

Quanto às vacinas, tenho de ir ler isso melhor ;)

Akkot disse...

Eu, felizmente sou uma das pessoas afortunadas com um medico de família e com um centro de saúde relativamente perto logo não sei como se passa nos casos onde isso não existe, mas, julgo que os médicos de reforço podem pedir uma consulta de planeamento familiar...

E, tanto quanto sei os médicos ou os enfermeiros não devem perguntar os motivos pelo qual as cidadãs querem a pílula...

Caso assim não seja peço desculpa pelo erro...

Susi disse...

Ah, apesar de a pílula ser distribuída gratuitamente nos centros de saúde eles não têm as pílulas todas à disposição. Pelo menos onde eu vou só há a Minigest, a Diane, a Yaz (ou algo assim) e mais uma que não me lembro agora. Eu sei isto porque às vezes a enfermeira diz-me para ser eu a ir buscar e eu já as vi todas... Portanto aqui na zona quem usar outras está lixada...

C. disse...

tens toda a razão. é com "crânios" destes que em vez de apostarem na prevenção primária e evitarem assim os custos de tratamentos e internamentos para futuras patologias que as vacinas previnem, preferem 'arrecadar' no local errado.

a saúde não é uma área onde a gestão deva ser feita da maneira nada humana como aqui vem sendo sugerida; deve ser sim pensada para servir os melhores interesses da população e contribuir para uma melhor qualidade de vida.

a ideia do Bastonário de se colocar um imposto na fast food (como se aplica ao tabaco e ao álcool) parece-me mais certeira (e incide na prevenção primária, evitando alguns dos gastos relacionados com as ditas doenças do séc. XXI e ainda amealhando com o próprio valor do imposto - win, win situation) do que esta ideia mirabulante e ridícula de cortar em coisas tão importante como vacinas.

Xs disse...

Não sei onde é que isto vai parar...
Qualquer dia acaba também a distribuição gratuita nos centros de dia....
Estou mesmo a ver a cena,,,,

Semprábrir disse...

Só a título de curiosidade, até porque eu sou gajo e não tomo pílula.
Já esperei dois meses e meio por uma consulta de reforço.
Ora se fosse mulher e estivesse sem tomar a pílula dois meses e meio, lá teria de recorrer ao aborto, não é?...
Ah e outra coisa: eu também tenho uma passadeira à minha porta e ando bem, por isso não tenho problemas em atravessar a rua. Mas custa-me tanto ver um senhor que mora ao cimo da rua e que já teve um AVC, andar 300 metros até à passadeira e ter de esperar que uma alma caridosa o deixe atravessar, como que por favor...

Estudante disse...

Akkot: não é assim tão linear... e o médico tem todo o direito de saber o porquê da medicação que receita aos doentes ;)

Susi: ora aí está outro problema de que não me tinha lembrado!...

C.: eles cortam na Saúde da mesma maneira que cortam em qualquer outra área e a Saúde não é uma área como outra qualquer!... essa do fast food não sabia x) mas gostei e apoio!

Xs: eu nem sei como ainda não cortaram isso também...

Semprábrir: quando respondi aos comentários pela primeira vez não vi o teu! Peço desculpa por não ter respondido... Quanto ao Viagra põe-te a pau xD

Em cada consulta de planeamento familiar são entregues contraceptivos pelo menos para 6 meses (pelo menos era assim...). Mas tens toda a razão no que diz respeito ao tempo de espera. Há coisas que podiam funcionar melhor!... mas ninguém se preocupa muito com isso =\