sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Santa Terrinha

Hoje de manhã, quando acordei, vieram-me à memória os primeiros dias de aulas aqui na santa terrinha. Em localidades pequenas o "estrangeiro" torna-se a principal atracção durante pelo menos um mês ou até que satisfaçam todas as curiosidades que têm sobre ti.

Mas, advertidas pela experiência de outrém, eu a minha mana divertíamo-nos a dar respostas evasivas ou a fingirmos que não estávamos a perceber muito bem a intenção da pergunta. Claro que desta maneira, aguçávamos ainda mais a coscuvilhice das velhinhas corujas, porque éramos "estranhas" mas, ao mesmo tempo, nunca permitimos que esta gente metesse o "bedelho" (como diz a minha avó) nas nossas vidas.

Lembro-me que quando entrei na turma do 11º ano, a preocupação das minhas colegas era saber donde eu vinha e porquê. Descaradamente, sem um "bom-dia" ou um outro cumprimento mais cordial, há uma delas que, com uma certa cara de nojo, me pergunta como é que tínhamos vindo aqui parar ...

"Olha, foi uma nave que aterrou ali em baixo... deixou-nos lá e só tivémos de subir a rua."

E era assim.



Inté*

17 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

hahahahahaha.... Suas intrusas alienigenas!!! :P

Dom disse...

Em terras pequenas as pessoas sabem tudo (ou pensam que sabem) da vida do vizinho. Apesar de toda a evolução tecnológica, parece que ela tem sempre alguma dificuldade em penetrar e em mudar mentalidades.

mão da mãe disse...

a boa e velha da cusquice ;)

Estudante disse...

Especialmente Gaspas: somos uns ET's x)... ela não gostou muito desta resposta, mas eu também não tinha gostado da pergunta :P

Dom: é mesmo isso. A tecnologia também aqui chegou mas mudar a lógica do pensamento é que é mais difícil :P

mão da mãe: é mesmo! ;)

Mim disse...

Ui, meios pequenos, para quem está habituado ao quase anonimato da cidade, é uma coisa do outro Mundo.
Há uns anos comprei uma casa numa aldeia que nem é muito longe da Capital e se não me tivesse insurgido, às tantas passava os fins de semana com a casa cheia de velhas cuscas ahahah.

Patrícia disse...

Isso é tão mau... Vivo numa vila perto da cidade, e mesmo assim de vez em quando as velhas perguntam-me de onde sou, e de quem sou filha... Respondo sempre o mesmo: "não sou de cá, sou de Coimbra..." assim elas desistem de tentar perceber quem é a minha família e onde vivo e ect... Mesmo cuscas!!

Xs disse...

E assim é que fizeram bem!
Eu respondia assim como vocês!
Detesto gente a meter o bedelho!!!

Estudante disse...

Mim: ahaha :P se lhes fizesses um chazinho já as tinhas conquistado!

Patrícia: ao fim de um tempo acabam por desistir, coitadas x)

Xs: é tão irritante quererem saber a tua vida! Mas enfim, agora já passou ;)

Mim disse...

Só se fosse um "chá de pau de marmeleiro" ahahah.
Um dia estávamos para ir dar uma volta pelo campo e instalaram-se duas mongas lá em casa... como "ela" não se resolvia a "correr" com elas, fiz tamanho "escabeche" que as velhas nunca mais pararam à minha porta looool.

Estudante disse...

Mim: foi uma solução certeira x)

Susi disse...

Xii, que gente alcoviteira! Têm que saber tudo da vida dos outros. Aliás vivem mais as dos outros do que a deles. Eu vivo numa terra relativamente pequena e sei o que isso é! E chateia-me tantoooo!

M disse...

Ainda hoje fui abordada por uma senhora que me tentou investigar a vida xD

Miss Worm disse...

Vais levar com gente assim ate ao fim da tua vida! Garanto-te!!! É começar abater na passagem tipo Angry Birds.

XL disse...

Mas afinal viste do estrangeiro foi? De onde?
Burkina Faso? Burundi?

Estudante disse...

Susi: é isso mesmo! A principal preocupação deste pessoal é o "bem-estar" dos outros :P

M: ahaha x)

Miss Worm: gostei da analogia dos angry birds! :D

XL: Burkina Faso? xD Do que tu te foste lembrar! Eu sou do estrangeiro cá de dentro, por isso é que estrangeiro está entre aspas... :)

Paula disse...

Sei muito bem o que isso é!... Se fosse contar as minhas experiências na matéria não acabava mais... lol

Estudante disse...

Paula: :P