terça-feira, 29 de dezembro de 2015

E 2015?

Desde Janeiro que tenho guardado num frasquinho devidamente decorado para o efeito, pequenos papéis onde escrevo o que me acontece de bom. Quase todos os dias, escrevi um papelinho onde anotei aquelas pequenas alegrias do dia-a-dia. Às vezes, estava tão feliz, que me esquecia de escrever. Mas também houve dias em que, não tendo nada de bom para escrever, ponderei seriamente em criar um frasco antagónico onde apontasse as coisas menos boas... mas não. Para quê encher um frasco de más energias?

Ainda não reli nada do que escrevi. Só o farei no dia 31. Mas lembro-me de um dia escrever sobre as alegrias que me esquecia de colocar no frasco. Esta noção de que temos muitas alegrias que não valorizamos devidamente ou que acabamos por nos esquecer também é, por si só, um motivo de alegria.

Curiosamente, sei de muitos papelinhos que não escrevi por achar que certas alegrias não o deveriam ter sido. Não se assustem; não se trataram de alegrias pela desgraça alheia ou alegrias no limite da legalidade - foram antes, alegrias que dadas as circunstâncias, não deveriam ter sido tão grandes, por trazerem com elas um pouquinho de esperança e ilusão que já não se justificam. Foram (e às vezes, ainda são), alegrias duplas, envoltas num certo estoicismo e ao mesmo tempo, algum sentimento de culpa por achar que não me deveria permitir alegrar com certas coisas. Foi por isso que essas alegrias não entraram no frasco.



Inté*

22 comentários:

Maria do Mundo disse...

Belissíma ideia essa do frasquinho.

Carolina. disse...

Fi-lo em 2014 e adorei reler, no final! :)

Agridoce disse...

Acho que vou roubar a tua ideia :)

E adorava estar lá para ver quando os fores reler. Deve ser tão bom!

A Pequena Boneca de Trapos disse...

Adorei a ideia, quem sabe ainda acabo por criar um frasquinho desses para o ano!

Bjxxx

Estudante disse...

Maria do Mundo: eu também acho :D

Carolina.: acredito que sim :) e acredito que também vou gostar muito de o fazer!

Agridoce: rouba, rouba ;) talvez depois fotografe alguns dos papelinhos e os coloque aqui ;)

A Pequena Boneca de Trapos: sim! Cria ;)

Observador disse...

Posso presumir que o frasquinho estava cheio?

Estudante disse...

Observador: sim :D está bem composto... :)

P' disse...

Adorei a ideia :D acho que o vou fazer em 2016 :)

Estudante disse...

P': é uma ideia mesmo gira, não é? :D

Portuguesinha disse...

É curioso, algo ainda juvenil também, isso de papéis num jarro.
Nunca me apeteceu fazer, talvez por recear não ter nada para lá dentro colocar. Quando se vive com muitas situações de frascos "antagónicos" o dia a dia passa a ser diminuir a quantidade destes. Não é exatamente uma alegria :)
Mas pensando bem, existem sempre umas coisinhas. E quem sabe, QUEM SABERÁ, se ter um frasco para coisas boas não vai fazer com que o queiramos encher bem rápido?

Continuação de bons frascos

Estudante disse...

Portuguesinha: sabes uma coisa? A verdade é que eu acho que este gesto de encher o frasquinho com o que nos acontece de bom faz-nos ver exactamente isso: que nos acontecem muitas coisas boas e que, grande parte das vezes, nos passam despercebidas :) por isso, não vale a pena ter medo de não encher o frasco... ele vai encher ;)

Gaja Maria disse...

Que ideia fantástica. Acho que vou levar :))

м♥ disse...

Já faço isso há 3 anos e a ideia é simplesmente espetacular! É tão bom chegar ao fim do ano e relembrar as coisas boas que de outra forma nem nos lembraríamos.

Estudante disse...

Gaja Maria: estás à vontade ;)

M: :D eu adoro esta ideia!

Nádia disse...

Que ideia tão fofa! É o teu frasquinho de felicidade :)

Estudante disse...

Nádia: é mesmo :D

A Polegarzinha disse...

Que ideia maravilhosa! :)

Estudante disse...

A Polegarzinha: eu adorei :D espero também voltar a fazer em 2016 ;)

J-o-a-n-a disse...

Grande ideia! :)

Estudante disse...

J-o-a-n-a: :)

Maria Amêndoa disse...

Tenho ouvido falar muito desses frasquinhos e apesar de já irmos a dia 3 estou a ponderar seriamente se não faça um, enquanto ainda vou a tempo. Só há o pormenor de ainda não ter nenhum frasquinho, mas acho que qualquer coisa se há-de arranjar. O meu maior medo é acabar por descobrir que nem tenho assim tantas alegrias ou que as minhas alegrias se devem a coisas, como dizes, menos boas, como futilidades por exemplo.

Bom ano ;)

Ana D. disse...

Excelente ideia. Ótimo também para aquelas alturas em que te sentes mais triste, olhas para o frasquinho e vês imensas coisas boas que te acontceem diariamente