domingo, 22 de maio de 2016

Não tenho cara de médica

Não tenho cara de médica. Sou "a menina", "a enfermeira" (parece que as enfermeiras são sempre as mulheres mais novas e as médicas, as mulheres mais velhas...), "a estagiária". 
Não deixa de ser divertido que me achem com cara de "não médica". Nem sei exactamente, quais os requisitos de uma cara de médica.
Há doentes que inicialmente, me tratam por menina e depois, quando por algum motivo se dão conta de que sou a médica deles, corrigem muito aflitos o pronome e pedem desculpa. Não percebo porquê. Eu continuo a ser uma menina. O Mestrado não teve nenhum efeito colateral nessa parte.


Inté*


8 comentários:

Gaja Maria disse...

Muita gente fica confusa com a cara de menina de algumas médicas por causa dessa ideia de que falas, além de que, quando constatam que as meninas são médicas ficam logo aflitos e a achar que são inexperientes :)) É difícil mudar mentalidades :)

Jedi Master Atomic disse...

Toda a gente sabe que não há médicas novas. E as que há estão escondidas numa cave até ficaram com ar mais velho para poderem aparecer :P

Anna Marian disse...

Considero que isso nem sempre e' bem. Tenho cara de menina, sempre tive. E com 25 anos ainda ha' gente a nivel profissional que nao me consegue levar a serio. Na verdade chegam-me a tratar como uma crianca. E isso parecendo que nao afecta, pois a forma como nos vestimos ou parecemos nao devia nunca influenciar aquilo que fazemos pela empresa, aquilo que fazemos pelo nosso trabalho. Mas compreendo o teu ponto de vista ;) Beijinho

Anna Marian disse...

E quis dizer "que isso nem sempre e' bom"

Estudante disse...

Gaja Maria: pois, esqueci-me dessa história da inexperiência ahah :P é verdade!

Jedi Master Atomic: ahaha :D o que eu me ri!

Anna Marian: sim, talvez nem sempre seja bom ;) e claro que a aparência não deveria influenciar a forma como nos tratam. Mas, na vigência dessa possibilidade, é a nossa atitude que demonstra maturidade :)

м♥ disse...

Eu sou sempre "menina" também. Sempre. Por acaso não me posso queixar relativamente a isso enquanto estagiava. Mesmo sabendo que éramos estagiárias, todos os nossos clientes nos chamavam "Dra x". Mas na rua, para todas as pessoas que não me conhecem ou num tratamento informal, sou sempre "menina" e não me importo nada! :)

Estudante disse...

M: eu acho piada :P "menina"... é querido, até :)

Pam disse...

Lá na farmácia também sou "menina". E confesso que gosto muito mais do que "doutora". Sou uma menina e adoro quando dizem "Oh menina, traga lá uma caixinha deste medicamento" ;)