sexta-feira, 20 de maio de 2016

O Perfume

Parece que a vontade de escrever vem, sobretudo, quando volto para casa. Já há quase dois meses que não dormia na minha cama de quase sempre.
Hoje de manhã, quando abri a porta e senti o cheiro campestre da Primavera senti uma alegria tão grande! Este cheiro só existe aqui. Quase senti vergonha de já não me lembrar deste aroma que surge com os primeiros dias de Sol e com as primeiras flores.

Desculpa lá Montanha por já não me recordar do teu perfume...

Mas continuas a cheirar tão bem!


Inté*

7 comentários:

S* disse...

Até me deixaste a sorrir!

Gata disse...

Ai que bom!!!

Estudante disse...

S*: :)

Gata: sim! :D

Ó menina disse...

O olfacto desperta muitas recordações. Se o reconheceste foi porque não o esqueceste, guardaste-o.

Estudante disse...

Ó menina: boa perspectiva ;)

м♥ disse...

Sempre vivi na minha terrinha, até ter morado dois anos na minha cidade de estudante. O ar, o cheiro do ar digamos assim, nunca nos parece significativo ou nem sequer damos conta dele quando vivemos sempre no mesmo sítio. Mas era a primeira coisa que eu sentia quando saía na paragem de autocarro ao lado da minha casa: nada cheira igual à minha cidade, à minha terrinha. O ar é mais puro, mais familiar, era diferente.

Estudante disse...

M: É mesmo isso :D