quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Elogios

CUIDADO: vou ser má. E crucificada talvez, mas vou ter de desabafar convosco porque é algo que está aqui dentro, muitas vezes adormecido, é certo, mas que as redes sociais insistem em despertar em imensas ocasiões, e me deixa doente.

Vocês sabem que o valor dos elogios é muito relativo, certo? Por exemplo, elogios vindos da mãe ou da avó devem ser sempre alvo de um atento escrutínio, dada a sua clara falta de imparcialidade. A Manhê e a Avó também dizem sempre que eu sou muito linda e isso em mim já não tem efeito extremamente nenhum (talvez entre -10 e zero, vá) porque eu sou uma pessoa com um espelho redondo na casa-de-banho e porque sei que a realização pessoal não passa por uma carinha laroca e, portanto, convivo bem com a minha ausência de beleza (ausência de beleza... Não é o mesmo que ser-se feio). 

Ora bem, acredito que a maioria de vocês tenha Facebook (essa coisa inútil que eu não desactivo porque me ajuda a recordar alguns eventos e datas de aniversário) e, portanto, estarão familiarizados com esse fenómeno que eu muito carinhosamente apelidei de "mentira descaradona". E que fenómeno é esse, Estudante? Passo já a explicar.

Sabem quando alguém coloca uma fotografia e surgem comentários como "que linda!", "Uau! Que gata", "Estás maravilhosa", e outros que tais, que fazem alusão a uma beleza inexistente, cuja visualização só pode ser explicada por um amor incondicional por parte de quem escreve ou por interesses doutro tipo? Não vos faz confusão?... ver como a pessoa não foi abençoada por Deus com os pós da beleza e, ainda assim, é alvo deste tipo de comentários? Eu acho ofensivo... porque é mentira, claramente!

Todos nós já fomos vítimas deste tipo de comentários, certo? Mesmo até em reuniões de família. E é tão constrangedor! Eu acho quase ofensivo que alguém me elogie desta forma porque, ou a pessoa quer ser agradável, ou é zarolha de todo.

Mas há elogios piores! Também já devem ter reparado naqueles indivíduos que, e isto é mais frequente nas felicitações de aniversário, elaboram grandes discursos em que o visado é a "melhor pessoa do Mundo", "com um coração enorme", "super inteligente", "grande amigo" bla, bla, bla... e vocês assistem impotentes a algo que sabem ser completamente mentira e sem sentido nenhum mas não são capazes de desmentir. Enfim.

Há formas de elogiar sem mentir. Podemos dizer que gostamos do vestido, do anel, do corte de cabelo... não é preciso dizer ao Shrek que está bonito, compreendem?
E quanto às qualidades da pessoa, idem. A pessoa é amiga dos animais? Tudo bem, óptimo! É altruísta, ajuda os outros... podemos ficar por aí. Não é preciso dizer que é boa em tudo o que faz, que tem um QI  acima da média. Cada um é o que é e isso é que tem valor.

Atribuir a alguém qualidades que não tem é menosprezar aquelas que realmente possui, compreendem? Como se não fossem suficientes! Como se, para além daquilo que é, devesse ser mais alguma coisa...

E isso está mal, caramba.



Inté*

17 comentários:

Esmy disse...

Gostei do teu texto e tenho de concordar com ele, embora considere que alguns elogios que dou e que recebo sejam sinceros. Há apenas que efectuar filtros, e nem sempre, muitos de nós o fazemos, porque ficamos demasiado cegos pelo ego, ou pela paixão :)

K disse...

"não é preciso dizer ao Shrek que está bonito, compreendem?" Ri-me bastante!
Por acaso, a minha conta já foi à vida, há um tempinho. Tem as suas coisas boas, mas há tanto pormenorzinho irritante. O que referes é só um deles. Prefiro chatear-me com outros assuntos.

Estudante disse...

Esmy: claro que há elogios sinceros, sem dúvida ;) o texto é irónico também! Felizmente há pessoas que merecem elogios e há quem os saiba dar :)

K: Ora bem, fazes bem ahah :D

Teresa disse...

Elogio quando acho que o devo fazer...não porque fica bem!
E os elogios que faço são ponderados e refletem bem o que acho.
Já receber elogios...tenho imensas dificuldades!

lápis roído disse...

Mira, Estudante. Conheces algum sítio mais privilegiado para o engate do que o Facebook? Não, pois não? Então porque não desatar a disparar elogios à toa para ver se a coisa pega? Tentar não custa e a malta dispara, dispara, dispara até ver se acerta em alguma gata, linda, giraça, fofinha desta vida! :P Ah, os D. Juan da Internet. São tão bons! :P

Pedro Coimbra disse...

Louis CK brincava com essa situação.
Aconselhava a publicar um vídeo de 20 minutos.
O primeiro minuto com o filho/a a cantar, a dançar.
O resto apenas a filmar o rabo.
E depois esperar pelos comentários.
É, a maior parte das vezes as pessoas ou mentem ou não vêem :))

Jedi Master Atomic disse...

Oh Estudante, então não és gira??? Fogo, fui enganado. Então adeus, foi um prazer :P

estrela disse...

Concordo ctg...às vezes mais vale estarem caladinhos do que abrir a boca
e só dizer asneiras!

Galinha disse...

Concordo com tudo. Acho que devemos elogiar apenas na altura certa, ou pelo menos sem exagerar - ser verdadeiro.

Sci disse...

Também estou de acordo contigo.

Na maioria das vezes consigo categorizar esses elogios em 3 tipos:
- aqueles que estão apenas a "tentar a sorte",
- de pessoas próximas, às quais se aplica o "quem feio ama, bonito lhe parece",
- por parte de pessoas que parecem ter sido alvo de lavagem cerebral ou, ainda pior, vivem num mundo de fantasia.

Seja como for, não sendo verdadeiros ou adequados à realidade, acabam por ter precisamente o efeito contrário ao pretendido.

Gaja Maria disse...

Quem feio ama bonito lhe parece. E um elogio, ainda que saibamos que é mentira sabe sempre bem e é simpático da parte dos outros. Imagina que ao invés disso as pessoas desatassem a inumerar-nos os nossos defeitos.... :))

Denise disse...

Olá :)

É uma questão pertinente, facilmente resolvida pelo silêncio. A pessoa não tem de elogiar. Ponto.
Na minha opinião, há a tendência ao elogio quando não se sabe o que dizer e eis o grande problema. Focar mais, pensar mais, observar mais e aí sim, temos o trabalho de casa feito para interagir saudavelmente com as pessoas, sem necessidade de elogios de qualquer espécie porque, de uma forma natural, as melhores coisas acabam por ser ditas.
Quanto ao fenómeno das redes sociais, nunca tive Facebook nem o pretendo. Pode ter vantagens, não digo que não, mas pessoalmente não me atrai minimamente. Acredito, inclusivamente, que pode tolher as competências pessoais/sociais de muita gente que, no conforto de sua casa, abra a boca mal e porcamente. Desculpem o francês :)

Beijinhos!

Estudante disse...

Teresa: e penso que é assim que deve ser :)

lápis roído: tipo deitar barro à parede, não é verdade? :P

Pedro Coimbra: ahaha :D adorei essa experiência!

Jedi Master Atomic: ahaha :D na descrição do blogue nunca foram focados aspectos físicos!

estrela: ahaha :P

Galinha: sem dúvida. Mentir é sempre mau, mesmo que seja para agradar alguém :)

Sci: exactamente :P

Gaja Maria: ahaha :D mas não precisam de desatar a enumerar os nossos defeitos... basta substituir falsos elogios por verdadeiros elogios ;)

Denise: concordo contigo! E acho interessante a tua opinião acerca do Facebook :P paradoxalmente, ou não, as redes sociais parecem tolher as competências sociais das pessoas... :)

*Nightwish* disse...

Há comentário que parecem ter a mesma composição que um lábio com botox: artificiais. Isso faz-me uma comissão das tripas que nem tens noção.
Nesta ocasiões, não me canso de contar a seguinte história.
Num dos meus aniversários, um dos meus afilhados (académicos), em vez de escrever um testamento a enaltecer a sua fantástica madrinha, escreveu apenas "parabéns". Muito rabujenta, perguntei-lhe se aquilo tinha algum jeito. Ela respondeu "mas o resto tu já sabes".
Quando se viram para mim com discursos moralistas quanto a agradecer e a parabenizar alguém, estilo endeusamento à base de botox labeal (porque há, realmente, quem tenha muita lábia), conto esta história. Normalmente, depois disso, instala-se um silêncio levemente agradável.
****

Lia disse...

Er este post hoje, veio mesmo a calhar... Há pouco vi no facebook a foto de uma senhora, assim para os seus 40 e muitos (se nao já os seus 50), com uma cara de homem de meter dó (se nao estivesse maquilhada e se visse o cabelo comprido, diria mesmo que era um ser do sexo masculino - só para teres uma noçao da beleza da senhora)!
E a maioria dos comentarios era "estás linda", "ficaste tão bem".

Não abri mais nenhuma foto, é um facto... por isso, não posso sequer imaginar se a senhora consegue ser mais feia que aquilo, e por acaso naquela foto até ficou "bemzinho".

Estudante disse...

*Nightwish*: gostei da analogia do botox :P

Lia: ahahaha :D muito bom!

Gata disse...

Concordo plenamente e não caio nessa - ter passado por bullying na adolescência fez com que o meu sentido crítico em relação a mim própria ficasse apuradíssimo ;)