terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Fundação ONCE

Não sei se conhecem a Fundação ONCE. Eu, pessoalmente, só tive oportunidade de conhecer a sua existência há pouco tempo atrás, quando vi os anúncios televisivos da campanha institucional deste ano. O que vos mostro abaixo é um dos meus preferidos.


A propósito, eram capazes de adoptar um(a) menino(a) deficiente? Ontem fiquei a pensar nisto...



Inté*

23 comentários:

Anna disse...

eu era. aliás eu só quero ser mãe adoptiva, e gostava de adoptar um menino/a com deficiência, são as crianças mais amorosas que existem ! já tive oportunidade de trabalhar com elas, acredita são perfeitas

Mim disse...

É a entidade que gere a lotaria, em Espanha, mais conhecida pela forte participação no ciclismo profissional, onde manteve uma forte equipa até há relativamente poucos anos. Mas desconhecia totalmente esta faceta.
Se adoptaria uma criança deficiente? Nesta altura da vida, já não. Antes e se tivesse o desafogo financeiro que nunca tive, porque não?
Afinal onde é que está a diferença? Se até uma criança entende...

eu-sou-eu disse...

Eu, por várias razões e acreditando que o meu namoro com a Ana é para sempre, vou adoptar. Já foi tema de conversa entre nós, e sem dúvida que para nenhuma das duas é problema adoptar meninos deficientes :)

Estudante disse...

Anna: já trabalhaste com meninos diferentes? Uau :D invejo-te!

Mim: pois é, também é preciso ter boas condições financeiras para adoptar... contudo, penso que às vezes exigem demais. Uma criança é certamente muito mais feliz numa casinha, por mais pequena que seja, com uma família, do que numa instituição... =\

eu-sou-eu: ena, já discutem essas coisas? ;)

eu-sou-eu disse...

Nós falamos de tudo, e por vezes as conversas vão ter a "nós", por isso sim :p

Deia disse...

wow!! Nao sei se seria capaz, querida. muito provavelmente sim, mas dependem de tanta coisa, imediatamente de uma grande bagagem emocional.

Anna disse...

sim já ! ;D até com jovens já trabalhei, claro que eu fui como voluntária, mas eles são tão amorosos *.*

Desatinado disse...

Epá, bem vistas as coisas, acho que cada português já tem a sua conta de adopções.
Faz uma pesquisa e vê, desde o 25 de Abril, quantos "anormais" como o Passos Coelho é que já adoptámos.

Falando a sério de de deficientes (anormais são os políticos), acho que não reúno as condições financeiras que são exigidas (quer implícita, quer explicitamente), para adoptar uma criança, com ou sem deficiência.
Tirando a parte burocrática, acho que sim. Era capaz de tentar dar uma vida digna e amor a uma criança, independentemente de ser deficiente, ou não.

Silver disse...

Eu não faço ideia.
Teria de ter a certeza que seria uma mãe extraordinária, porque é isso que elas merecem.

Estudante disse...

eu-sou-eu: ;) que queridas!

Deia: pois é... isso é verdade :)

Anna: :) isso é muito bom!

Desatinado: ahaha x) esses adoptámo-los à força :P A parte burocrática acho que é mesmo a pior... as pessoas acabam por desistir tal é o tempo de espera =\

Silver: acho que ninguém pode ter a certeza disso ;) o que interessa é darmos sempre o nosso melhor.

SuperSónica disse...

Admiro as pessoas que o fazem, apesar de em Portugal ser mais difícil a adopção, é uma ideia que não me desagrada de todo!

...Ju... disse...

se me perguntares se tinha amor para isso, sim, tinha. a potes! se bem que tenho que refrear o instinto maternal mais uns tempos!

Estudante disse...

SuperSónica: aqui em Portugal temos muita burocracia =\ é uma pena, porque à conta disso há crianças que passam anos e anos em instituições

...Ju...: :P ai é? Estiveste a estagiar em pediatria? Eu vou lendo o teu blogue e sei que às vezes falas em bebés mas não percebi em que especialidade estavas :)

Catarina Reis disse...

Sinceramente nunca pensei verdadeiramente nisso, de qualquer forma também sou voluntaria da CERIA aqui em Alcobaça, e embora não tenha ainda trabalhado directamente com eles, costumo angariar fundos para a sua instituição, e os trabalhos manuais que eles fazem são espetaculares. Um grande beijo

Cacarol disse...

Ui que pergunta complicada...

Estudante disse...

Catarina Reis: não conhecia a CERIA... tenho de ir investigar ;) um beijinho também para ti!

Caracol: é um bocadinho :P

Gasper disse...

Adorei o anúncio :)

Sinceramente não sei se era capaz. Depende de inúmeros factores e não seria uma decisão tomada de animo leve

Pam disse...

Que vídeo espectacular! :')
Não sei se adoptar é uma opção que passa na minha vida. Queria muito ser mãe, gerar vida, dar à luz :) Mas por vezes a vida troca-nos as voltas e não rejeito de todo a hipótese. Nem muito menos se for uma criança deficiente. Não tenho preconceito nenhum! Pelo contrário, acho que são uns amores :)

Estudante disse...

Gasper: está muito bem feito o anúncio :) sim, é uma decisão difícil...

Pam: :) nunca tive oportunidade de lidar com crianças com este género de problemas... mas acho que podem ser tão felizes como outra criança qualquer ;)

Anónimo disse...

as maes/pais dos concorrentes da casa dos segredos neste momento dariam tudo para ter adoptado uma criança deficiente ao invés daquela prole biologica...

Estudante disse...

Anónimo: eles é que os educaram daquela maneira...

Angie disse...

Sinceramente eu até queria um "de cada cor". Mas sabes, acho que a nível psicológico é mais fácil adoptar uma criança assim que ter biologicamente. Porque se adoptas "escolhes" e de outra forma imaginas o bebé nestlé, a vida linda que vai ter e afinal não vai ser nada disso, até a tua vai mudar.
Eu não me importava nada de ter uma criança assim, mesmo biológica, porque acho que só por pensar assim lhe dava uma vida melhor que muita gente ^.^

Estudante disse...

Angie: "um de cada cor" :P que giro!