sexta-feira, 5 de junho de 2015

Aquela história da privacidade...

Nunca percebi aquele mania que algumas (muitas!...) pessoas têm de bater à porta e entrar logo de seguida, sem esperar por uma resposta do outro lado...
 
Façam-me um favor e entrem logo de rompante. A sério. Assim, tipo surpresa; abram a porta mesmo à descarada e depois façam uma entrada triunfal, com os braços abertos e um "TCHARAAAAN!"
 
É que se for para bater e entrar logo, mais vale não bater e sempre temos o empolgante factor surpresa.
 
 
 
Inté*
 
 

10 comentários:

Tétisq disse...

É que nem dão oportunidade de fingir que não estamos...

Inté*

Timtim Tim disse...

No me serviço isso está sempre a acontecer. Detesto.

o bo(l)bo da corte disse...

Se fosses um homem, um dia despias-te a ver se elas entravam, ou fugiam. eheheheh
Sendo mulher, é mais complicado. Se a coisa pegasse, não te largavam a porta. eheheheheheh

Estudante disse...

Tétisq: ahaha :P pois não!

Timtim Tim: eu acho uma falta de educação...

o bo(l)bo da corte: ahaha! As tuas ideias :D

Nuno disse...

Já diz a lenda que o puxador da porta só se torna utilizável quando bates duas vezes na porta e perguntas "Posso?".
Já não há respeito :D

Shinobu disse...

A minha mãe por acaso tem essa mania... mas pronto, consigo sobreviver com isto...

Estudante disse...

Nuno: vou por essa lenda na porta :P

Shinobu: ahah! Que remedio, não é? :P

Shinobu disse...

exacto... que remédio!

Jovem $0nhador@ disse...

Tens toda a razão...

Estudante disse...

Shinobu: :P

Jovem $0nhador@: ;)