quarta-feira, 10 de junho de 2015

Palavrinha-chave IX

Não resisti a comentar esta. "Como estudar para o Harrison" foi uma das expressões com que alguém chegou aqui ao meu humilde estaminé.
 
Também eu, quando comecei a estudar para a Prova Nacional de Seriação que nos permite a escolha da especialidade, e a que nós carinhosamente apelidamos de Harrison (por se tratar da bibliografia recomendada), pesquisei sobre como me desenvencilhar com tanta matéria para estudar. Obviamente, não encontrei resposta nenhuma. Cada um tem o seu método de estudo, já bastante experimentado ao longo de seis anos de curso e muitas vezes, pouco ou nada nos valem os conselhos alheios.
 
Ainda assim, deixo algumas dicas.
 
- O mais importante de tudo é não encarar o Harrison como um monstrinho. Claro que é muita matéria e que há coisas incrivelmente aborrecidas de estudar. Mas devemos encará-lo como aquilo que ele é: um livro. Quanto mais convencidos estivermos de que é uma tarefa "impossível", mais difícil será! Por isso, partimos para o segundo ponto:
 
- Tirar uma boa nota no exame é possível! Já muitos o conseguiram e muitos de vocês vão conseguir também;
 
- Fazer um plano de estudo é uma excelente ideia. O plano deve ser realista para evitar frustrações (inicialmente, ninguém vai conseguir ler 10 capítulos num dia...). Se definirmos objectivos é mais fácil termos uma ideia daquilo que temos para fazer e quando atingimos as nossas metas sentimo-nos muito mais motivados a continuar;
 
- Não experimentem novos métodos de estudo! Por esta altura, já todos sabemos qual o método que melhor resulta para nós. Se durante o curso obtivemos bons resultados a tirar apontamentos, então, tiramos apontamentos; se nunca o fizemos, talvez seja melhor não começarmos agora...
 
- Durmam e comam bem. Ler o livro só por ler, para "despacharmos" as coisas, não resulta. Certifiquem-se de que o tempo que passam a estudar é realmente bem aproveitado. Se à meia noite o estudo não rende, deitem-se e acordem cedo no dia seguinte;
 
- Desliguem a internet. Estudar com o computador à frente e a net ali à mão de semear é um erro. Estabeleçam horários de estudo. Se se propõem estudar durante duas horas, garantam que durante essas duas horas estudam mesmo. Quando fizerem uma pausa, já estão à vontade para irem fazer outra coisa qualquer;
 
- Não entrem em pânico! Não é possível saber toda a matéria do exame. Mas é possível saber as coisas que realmente interessam. Aproveitem todos os raciocínios que conseguirem criar - tudo aquilo que for percebido é mais fácil de não esquecer. Socorram-se de mnemónicas, desenhos, o que quiserem: tudo é válido.
 
- E por último: bem sei que não é agradável a ideia de passar o Verão a estudar. Mas é só uma vez na vida e é por um excelente motivo. Vão ver que o tempo passa rápido e que daqui a "uns dias" já estão livres outra vez. Estudar para este exame não é fácil, mas quem se focar verdadeiramente e trabalhar a sério, consegue. Muita força para vocês e bom estudo!
 
 
 
Inté*
 

9 comentários:

ovelha negra disse...

loool és uma mestre quase!

Estudante disse...

Não há nada como "passar por elas" para saber como "sair delas" :P

Til disse...

Vou aconselhar as minhas filhas a lerem o teu post...:)

o bo(l)bo da corte disse...

Boas dicas da "Mestra". lol
Tudo o que fazemos, devemos fazer com empenho. Seja estudar, seja trabalhar, levar a coisa como se estivéssemos a fazer um frete, não pode dar bom resultado.

Estudante disse...

Til: :)

o bo(l)bo da corte: claro que sim ;)

Catarina Queiros disse...

Obrigada pelas dicas! :) Só descobri hoje este post mas ainda vai bastante a tempo (ou não faltassem ainda uns 3 mesitos para o grande dia)...e é bem bom nestas alturas termos assim uns testemunhos de quem já está livre disto, para acreditarmos que também lá haveremos de chegar ;)

Estudante disse...

Catarina Queirós: força, Catarina :D o que é preciso é trabalho e paciência; o resto vem por acréscimo ;)

Anónimo disse...

Deve-se estudar o Harrison em português ou em inglês?
Devo estudar a 19ª edição em inglês ou esperar pela versão portuguesa?

Estudante disse...

Anónimo: pessoalmente, acho que não deves esperar pela edição portuguesa, eu pelo menos, não o faria. Quanto mais cedo começares a estudar, melhor ;) eu estudei pela edição portuguesa porque quando comecei a preparar-me para o exame, já existia a minha edição traduzida do inglês. A vantagem de estudar em inglês é o facto de não existirem erros de tradução que, infelizmente, são muito frequentes na edição portuguesa/brasileira.