quinta-feira, 11 de junho de 2015

Saltar do ninho

É sabido cá por casa que em Dezembro a Estudante vai mudar de cidade. Tenho a sensação de que é quase um tema tabu porque, cada vez que o assunto vem à baila, ninguém se pronuncia, à excepção da Avó, que só por pouco não se afoga em lágrimas...

A Manhê diz que fica contente por eu ir ter a minha vidinha, mas depois lá confessa que não é uma alegria completa. Mas também, quase nenhuma alegria é completa, não é verdade? Tudo tem o reverso da medalha.

Acredito que os primeiros tempos fora de casa sejam bastante difíceis, sobretudo para quem vai sozinho. Mas é tão bom pensar que vou ter o meu próprio espaço, tudo arrumadinho ao meu gosto... e o Simba vai também. Eu acho que ele vai gostar, mas aposto que vai sentir saudades da relva e de se rebolar na terra... provavelmente, também não terá cobrinhas nem ratinhos para caçar. Vou ter pena de deixar por cá os meus outros bichinhos.
 
E sei que também vou ter saudades do silêncio pela manhã, interrompido apenas pelos passarinhos, e do cheiro a mimosas na Primavera, dos finais de tarde de Verão, dos serões à lareira no Inverno...
 
Vou ter muitas saudades de muitas coisas, mas hei-de descobrir outras, se tudo correr bem.
 
 
 
Inté*

12 comentários:

Miss Memories disse...

As mudanças têm sempre os dois lados mas, e pela minha curta experiência, vale sempre a pena. Já vivi fora de casa tanto como estudante como a trabalhar. A vida deu umas quantas voltas e voltei para casa dos pais mas dos tempos fora ficam sempre coisas boas. E sim, o nosso espacinho arrumado ao nosso gosto tem o seu valor :)

Jedi Master Atomic disse...

Vais-te mudar para onde?

Estudante disse...

Miss Memories: boa! Fico contente com a tua opinião tão optimista :)

Jedi Master Atomic: ainda não sei... depende do local onde conseguir vaga :) mas gostava de ir para o Norte ;)

Shinobu disse...

É sempre um momento um bocado agridoce para os familiares... querem sempre que sigas com a tua vida, mas nunca nos querem ver longe...

o bo(l)bo da corte disse...

Quase nunca se perde tudo com a mudança e o que se ganha vem enriquecer-nos a vida.
Chega a uma altura em que até os passarinhos saltam do ninho e alguns, mal preparados para o voo experimental, acabam estatelados no chão.
Mas o salto mais doloroso nem sempre é o que termina em queda, porque a estes passarões, que somos nós, o que mais magoa são os trambolhões afetivos...
Como diz o povo: a vida continua e "prá frente é que é o caminho".
Boa viagem. :)))

Estudante disse...

Shinobu: é isso mesmo :)

o bo(l)bo da corte: gostei muito do teu comentário :) obrigada!

Pec disse...

O nosso caminho é assim, de distâncias elásticas. Mas em prol da felicidade, tudo vale a pena.

Jovem $0nhador@ disse...

As mudanças custam sempre ao inicio, mas depois acabas por gostar e adaptar =)

Estudante disse...

Pec: claro que sim ;)

Jovem $0nhador@: :)

Paula disse...

Tudo aquilo de que vais ter saudades estará sempre no mesmo sítio, à tua espera! E sim vais ter muitas coisas novas para preencher os teus dias :)

Estudante disse...

Paula: espero que sim :)

disse...

Para mim não existiu dificuldade alguma. A vida faz-se normalmente, até mais facilmente, porque mais coisas ocupam o teu tempo. De modo que não sobra muito para "nostalgias".