terça-feira, 2 de agosto de 2011

Alô?

Atender o telemóvel é toda uma ciência. Há quem atenda e não diga nada, porque quem ligou é que tem alguma coisa para dizer, há quem responda consoante a hora do dia ("bom dia", "boa tarde"....), há também o célebre "alô?" ou o "tou sim?" tão enraizado na cultura portuguesa.

Normalmente, atendo o telemóvel (quando o atendo, porque na verdade nunca sei muito bem onde é que ele anda e nunca o ouço à primeira...), com um "siim" mais prolongado e sorridente. A minha irmã goza muito comigo e imita-me sempre quando vou a atender o telemóvel (e quantos anos tem a irmã da estudante? 21... sim, já tem idade para ter juízo). Dizem que devemos sorrir quando falamos ao telefone porque a voz reflecte o sorriso e é mesmo verdade. Quando estou zangada a conversa dura logo metade do normal.



Inté*

11 comentários:

Fresco e Fofo disse...

Epá, eu detesto telefones. Trabalhei numa empresa onde era chefe da secção e o telefone não parava de tocar. Quase sempre chamadas internas, numa empresa em dificuldades, davam-me cabo da cabeça. Como o telefone era daqueles antigos (foi na década de 90), metia uma borracha de apagar a fazer altura no descanso e o telefone ficava direitinho no lugar, mas desligado. Se o chefão resolvia ir ver o que se passava, era o telefone que estava "avariado" eheheh.
Ainda fico sobressaltado quando o telefone toca e só atendo se não estiver mais ninguém em casa.
Acho que pelo tom de voz, do outro lado devem perceber logo o tamanho das minhas trombas eheheh.

Estudante disse...

Ahaha x) Belo truque! A minha irmã também odeia atender o telefone... o dia de aniversário para ela é uma tortura "telemoveleira"!

João Pedro disse...

Odeio telefones, agora com os telemóveis ainda dá para ver quem é, quando não dá eu respondo com um "bom dia em que a(o) posso ajudar?" não vá o diabo tecê-las, assim escapo-me sempre.

João Pedro disse...

Odeio telefones, agora com os telemóveis ainda dá para ver quem é, quando não dá eu respondo com um "bom dia em que a(o) posso ajudar?" não vá o diabo tecê-las, assim escapo-me sempre.

Anna. disse...

eu detesto atender chamadas detesto mesmo. e agora já perdi aquela coisa de andar sempre ás mensagens. credo, ás vezes passo uns 3 dias sem saber paradeiro do meu telemóvel. a última vez que o encontrei estava debaixo da minha cama no meio das sapatilhas . enfim 1

Néua disse...

Lol eu faço igualzinho a ti :) tem que se sorrir porque nota-se sempre do outro lado :) Mas em dias como os que o Fresco e Fofo descreve (também os tenho graças ao trabalho) só me apetece partir tudo!!!

Victória J. Esseker disse...

Não gosto muito de falar ao telemovel ou seja la o que for, sms ou chat ou nada feito xD

Os bebés parecem tão frágeis, tenho um medo danado de "parti-los" xD

SuperSónica disse...

Gostei da teoria logo da segunda frase: "Há quem atenda e não diga nada, porque quem ligou é que tem alguma coisa para dizer" ahahahahah
Eu geralmente atendo com um Helloooooo bem disposto! Porque sim, o sorriso reflecte-se na voz ao telefone!

Estudante disse...

João Pedro: homem prevenido :P

Anna.: ahaha xD

Néua: nesses dias estás perdoada ;)

Victória J. Esseker: não há nada como falar cara a cara! Quanto aos bebés eu também sou um bocado assim, mas já me disseram que não há necessidade :P

SuperSónica: e aqueles que ligam e perguntam quem fala?... Também não compreendo... então não sabem para quem ligaram? x)

Paula disse...

É mesmo verdade, o sorriso ouve-se! :)

Estudante disse...

Paula: ;)