quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Histórias de um Vizinho

Um dia destes, um vizinho dos meus avós queixava-se de haver um gato que lhe andava a comer os pintainhos. Qual a solução? Guardar os pintainhos? Não. Matar o gato. E matou mesmo. Matou um gato mas ninguém garante que tenha sido o gato "assassino".

Ora acontece que este vizinho também tem um gato. Um gato que não é castrado e que contribui para a criação de outros gatos que, sem dono, se vêem obrigados a caçar tudo o que encontram, incluindo pintainhos. E o vizinho castra o gato? Não.

Indigna-me este tipo de postura incoerente e irresponsável com os animais. Também é por aqui que se vê que ainda somos um país tão pequeno.



Inté*

11 comentários:

Anna. disse...

e dar-lhe um tiro no sitio do dito cujo desse homem? já que não quer castrar o gato castra-se o dono

Defecando e Andando disse...

Matar um gato é uma estupidez, quando se podia aproveitar o bichano para servir de bola de futebol. lololol
Estou a brincar, ok? Esse teu vizinho é uma besta.

João Pedro disse...

Podias sempre comer o gato. A Anna pensa como eu, eu subscrevo o que ela disse e acrescento comer o gato.

Estudante disse...

Anna.: também era uma ideia x)

Defecando e Andando: ai "Jasus"! Sabes, eu acho que as pessoas nem têm consciência destas coisas... foram educadas assim.

João Pedro: Comer o gato?... bah. Mas olha, dizem que sabe a coelho x)

Susi disse...

Gente pequenina. Este Portugal está cheio deles.

Fresco e Fofo disse...

Como tu própria acrescentas num comentário, há uma grande falta de consciência e ainda se tem a ideia errada de que um animal é um ser inferior e sem sentimentos.
Pelo que me é dado observar (e eu observo e dedico imenso tempo ao meu animalzinho de companhia), até aquela ideia de que "só lhes falta falar" não corresponde à realidade. Na verdade, o que falta nessas relações é a capacidade dos seres supostamente superiores entenderem outros tipos de linguagem. Ao fim de 11 anos a mim chega a bastar um olhar para entender o que a minha cadela me quer dizer. As pessoas da minha rua acham estranho eu falar com ela como se falasse com uma pessoa. O certo é que eu falo e ela entende e ela não fala, mas eu entendo.
Nunca tive gato, mas a experiência que tenho com este animal, diz-me que tínhamos muito a aprender com os cães. Talvez nos tornássemos melhores pessoas se, em vez da postura dominante que adquirimos, tivéssemos a humildade de nos colocarmos ao seu nível.

Teresa disse...

Isso é horrivel. deviam era matar o velho, a ver se ele aprendia ^^

Teresa disse...

Isso é horrivel. deviam era matar o velho, a ver se ele aprendia ^^

Estudante disse...

Susi: infelizmente...

Fresco e Fofo: concordo contigo :) e adorei esta: "Talvez nos tornássemos melhores pessoas se, em vez da postura dominante que adquirimos, tivéssemos a humildade de nos colocarmos ao seu nível"

Teresa: x) credo!

Paula disse...

Acho que o vizinho deve dedicar aos pintos a mesma estima que tem pelos gatos, senão cuidava melhor da ninhada. Enfim...

Estudante disse...

Paula: sim, lá isso é verdade!