quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Acho que isto vai dar merda...

Apesar deste post ter corrido mal e de ter ferido algumas susceptibilidades, não resisto a dizer que, por estes dias, o único lugar onde ouço falar português é em casa e de janelas fechadas.

Ah, e também já não sei quantas beijufas hei-de dar quando cumprimento as pessoas… 2, 3, 4?! Acho que vou adoptar um bom aperto de mãos e chocalhá-los a todos desde a falanginha até ao parietal.


Inté*

11 comentários:

L.O.L. disse...

Agora vê a minha pessoa que trabalha na aviação civil. É multiculturalismo que até chateia. lololol.

João Pedro disse...

Muito bom, muito bom.

Fresco e Fofo disse...

Em vez de beijos e abraços, às vezes apetece dar é um aperto de goelas.

. Sofia . disse...

Isso dos beijinhos mete-me tanta confusão.
Ainda há dias, veio cá a casa família próxima, mas que está na Suiça. Uns deram dois, outros deram três e eu ali sem saber o que fazer. Aprendi a ficar sempre para último, assim vejo como dão aos outros.

Estudante disse...

L.O.L.: imagino! :P

João Pedro: ;)

Fresco e Fofo: também é verdade x)

.Sofia: boa táctica, gostei! :D

Susi disse...

Eu começo breve é a dar apertos de mão a toda a gente, não gosto de cumprimentar pessoas com beijinhos não sei porquê... por exemplo apresentam-nos alguém que nunca vimos mais gordo e temos logo que lhe espetar duas beijocas? Não gosto :D

Estudante disse...

Susi: então és como a minha irmã :P

MarcoLino disse...

Depende. Se for àquelas velhas cheias de estrume nas rugas, acho que até um aperto de mão é demais.

Estudante disse...

MarcoLino: OMG x) nem sei que te responder!

Paula disse...

Quem ficou com a susceptibilidade ferida(isto ainda se escreve assim depois do acordo ortográfico?...) não tem sentido de humor!

Estudante disse...

Paula: acho que o "p" caiu... oh, são opiniões...