terça-feira, 8 de maio de 2012

Uai?

Ontem dei por mim a pensar em como todos os dias perdemos a oportunidade de conhecer pessoas fantásticas. Quando vamos na rua e vivemos o nosso dia-a-dia, passa por nós tanta gente que dificilmente não haverá ali alguém com quem poderá ser agradável conversar.

Se todos somos pessoas, faz-me confusão que não alarguemos o nosso círculo de relações de forma mais espontânea. Porquê não abordar alguém só porque sim? Porque é que pensamos sempre que o falar com alguém pressupõe uma espécie de compromisso? Porque é que tudo tem de ter um contexto?...



Inté*



15 comentários:

Beatriz disse...

Tens toda a razão!
As milhentas pessoas que passam por nós todos os dias, muitas vezes, as mesmas e nós nem sabemos quem são...
Beijinhos

Estupidez (em) Crónica disse...

Concordo contigo. Mas às vezes nem abordamos aqueles que nos são alguma coisa (vizinhos, conhecidos de vista, etc), quanto mais ter coragem para abordar completos desconhecidos...

Sufocada disse...

Tens uma certa razão mas nos tempos de hoje há mais desconfiança do que antigamente. Porque antigamente isso acontecia, não havia grandes entraves se vias alguém que te interessava por qualquer razão, tanto aspecto como pelo que está a fazer ou até porque sim falavas!

Por exemplo eu hoje, cada vez que um(a) estranho(a) vem falar comigo eu estou sempre à espera de mais qualquer coisa, não relaxo enquanto não vejo que não +e nada de mal!

guess disse...

Bem fazem os cães, que não estão com cerimónias para travar novas amizades.
Havia de ser giro nós irmos pela rua fora, a cheirar o cu uns aos outros. ahahah

Luciano disse...

Adoro passear na rua e travar conhecimento... comigo próprio. eheheheheh:)

Estudante disse...

Beatriz: é verdade :)

Estupidez (em) Crónica: ora muito bem dito :) não me lembrei dessa perspectiva!

Sufocada: sim, eu compreendo o que queres dizer :P

guess: ahaha xD acho que não seria muito agradável!

Luciano: também é bom ;)

Susi disse...

As pessoas não são tão dadas como antes... e andamos sempre a mil à hora, cheios de pressa para ir a qualquer lado. Isso complica as coisas, sendo que muitas pessoas nem abordam as outras com algum receio de serem mal interpretadas, ou mal tratadas. Há gentinha tão arrogante por aí. Bah, há tantos motivos. Mas sim, vendo as coisas como viste, até me deu vontade de ir para a rua meter-me à conversa :p

João Pedro disse...

Acho que é para não seres violada. Eu sou um rapist por exemplo.

Estudante disse...

Susi: pois é :\... é difícil abordarmos alguém do nada sem parecermos malucos :P

João Pedro: ahaha x)

Ju disse...

Tens toda a razão... eu por mim começava a falar na boa, ainda no outro dia estava na fnac e dei por mim a ouvir uma rapariga a falar ao telemóvel (sim, sou uma cusca e estou sempre atenta a tudo o que se passa à minha volta!) que dizia que estava a escolher um livro para a mãe e eu tive mesmo para lhe dar uma sugestão, mas fiquei com medo de ser mal interpretada lol e então lá fiquei calada, mas concordo contigo, sem dúvida!

Andreia disse...

É o anonimato que se criou nas cidades. Nas vilas mais pequenas e aldeias é mais comum meter conversa com alguém que não se conhece (tanto que nesses sítios ouves sempre um "bom dia" de alguém que passa). Mas também é mais comum falar-se da vida dos outros... lol eu gosto do meu anonimato, não gosto muito quando metem conversa comigo, mas isso sou eu :P

Estudante disse...

Ju: pois, lá está :P achamos sempre que vamos ser mal interpretados!

Andreia: és capaz de ter razão mas olha que às vezes, é nos meios pequenos que as pessoas são mais desconfiadas :P

Poison disse...

é verdade que conhecer novas pessoas pode ser enriquecedor,mas não é algo que seja normal abordar pessoas na rua só porque sim... As vezes nem um sorriso ganhamos.

Estudante disse...

Poison: não é normal porque não é algo que façamos por costume :) mas poderia ser.

Deia disse...

é uma coisa que Às vezes me pergunto a mim mesma. Mas falta-me a coragem. Acho que éisso.