sábado, 7 de novembro de 2015

Ricardo Salgado - como ser um bom ladrão ou a melhor anedota do ano

Vou ser breve. Mas vou ser breve porque o que me faria realmente feliz neste caso, não seria escrever, mas sim dar um valente tabefe no Ricardo Salgado e nos senhores que tomaram as decisões de perdoar metade da dívida deste indivíduo e triplicar-lhe a reforma - que era muito baixinha, coitado.

Caras pessoas honestas, o que eu vos aconselho é que deixem de o ser. Roubem. Mas roubem muito - qualquer valor com menos de 6 dígitos é meramente ilustrativo. Roubem aos milhões. E, se quiserem realmente brilhar, roubem sem o necessitarem. O mais provável é que alguém vos perdoe o acto e vos aumente o ordenado. A única condição, é que o façam em Portugal. Porque só em Portugal é que os ladrões, aqueles mesmo de verdade que desgraçam a vida de centenas/milhares de pessoas, são premiados.

Ser bom trabalhador e cumpridor da lei em Portugal, tem-se tornado um verdadeiro acto de rebeldia. A avaliar pela quantidade de corruptos que temos nos mais altos cargos, admira-me como ainda não nos tornámos num bando de delinquentes. 

Noventa mil euros de reforma, Salgadinho. Noventa mil euros de reforma porque foste um bom menino. Noventa mil euros de reforma porque não te chegam os 3 milhões que roubaste. Há velhinhos que não tomam a medicação que lhe é prescrita porque não têm dinheiro... mas se calhar é porque não sabem poupar, não é?

És um monstro. Tu e as pessoas que deixam que estas coisas aconteçam.



Inté* 

14 comentários:

Sci disse...

Já nem sei se o que sinto é revolta ou mesmo nojo... Não apenas por esta situação, mas tantas outras que envolvem injustiças deste calibre. E o maior problema é que sem confiança na justiça, também não há paz social. Já que continuamos, cada vez mais, um país de 3º mundo, não dá para ter também o clima tropical? Sempre se aproveitava alguma coisa...

Estudante disse...

Sci: isto é tão revoltante! Ver como nos "pedem" sacrifícios, paciência, porque temos de cumprir metas da Troika e mais não sei o quê, e depois temos estes gajos a enriquecer desta maneira, sem sequer o merecerem, sem terem feito nada por este país a não ser merda! Dá-me raiva... mesmo.

Shinobu disse...

Acho que ambos os meus pais teriam de trabalhar 9 anos sem absolutamente nenhum gasto, para chegar perto de receberem o que este senhor recebe mensalmente.

Imagino só quantas pessoas poderiam tirar da miséria com a reforma que ele ganha...

Existe demasiadas coisas erradas neste pais...

Gata disse...

A culpa não é só dele, é de quem permite: estas coisas só aconteceram agora que temos novamente governo de direita... Trabalharam rápido, não haja dúvida!

Estudante disse...

Shinobu: tens toda a razão. Mas ninguém quer saber disso...

Gata: claro que sim... se outras pessoas não apoiassem estas medidas, isto não acontecia. Mas se eu fosse este senhor, tinha vergonha :\

Pam disse...

Vamos procurá-lo e fazer-lhe judiarias?

esperto que nem um alho disse...

É isto que vai apagando em mim alguma réstia de patriotismo que tenha ficado esquecida, pendurada nos barrotes do celeiro, entre as réstias de cebolas e alhos que o meu pai cultivava.
É nojento isto e é nojento que depois de tudo o que roubou, os responsáveis pelo país tenham tido a lata de reconduzir ao cargo o Governador do Banco de Portugal que estava incumbido de fiscalizar e que, pelos vistos, não fiscalizou nada. Agora tornava-se conveniente reconduzi-lo no cargo, até para ter tempo de esconder alguns rabos que tenham ficado de fora. Não fosse o tipo zangar-se e, como é sabido, quando se zangam as comadres, começam a descobrir-se as verdades.
Palavra de honra, que às vezes dá vontade é de incitar à violência contra o estado a que isto chegou.
Já não há um pingo de vergonha!!!

Estudante disse...

Pam: vamos :D

esperto que nem um alho: pois, o problema é mesmo esse; todos se conhecem e todos têm algo a esconder. Por isso, o melhor é ir encobrindo os amigos e tal, não vá descobrir-se o que não se deve. É triste a falta de dignidade destas pessoas. E nós cá ficamos, com um sentimento terrível de impotência e injustiça :\

Anónimo disse...

Nunca comentei, mas em relação a este assunto não posso deixar de o fazer.

Se a nossa Justiça não resolve estes casos, talvez pelo poder escondido dos Salgados por esse país fora, porque não se expõe o caso aos Tribunais Europeus?

Vivendo numa alegada "Democracia", casos flagrantes como este fazem-me acreditar que há de facto donos disto tudo, que mexem os braços e os encéfalos dos fantoches de qualidade duvidosa que nos têm governado.

E entristece-me. E envergonha-me.

Estudante disse...

Anónimo: sem dúvida. A nossa Justiça de cega não tem nada - é parcial e a favor dos ricos. Somos demasiados corruptos para percebermos este conceito de Justiça (nós não, os nossos chefes). Precisamos de outro tipo de intervenção. Admira-me o facto de a Europa só servir para nos cobrar juros e outros que tais... será que não vêem estes casos? Será que não vêem como se submete um povo à miséria para poder enriquecer outros sem qualquer mérito?

ó menina disse...

Neste país só os bons morrem pobres!

Estudante disse...

ó menina: é isso mesmo... :\

Portuguesinha disse...

Nossa!
Por prometeres que serias breve, continuei a ler. Porque meter Ricardo Salgado no título faz-me logo querer fugir.
Essa revolta, a determinada altura da vida, é sentida por todos nós.
Custa ver o que consideramos injustiça. Ainda mais quando a impunidade e a recompensa parecem ser suas aliadas.

Nojo.

Estudante disse...

Portuguesinha: pois... não fui tão breve como queria :P sim, tens razão. A injustiça deve ser dos piores sentimentos de sempre...