sábado, 11 de maio de 2013

Esquizo.. quê?

Este post é especialmente dedicado à anokas, que me pediu um esclarecimento acerca da Esquizofrenia. Vou dar o meu melhor!

"Esquizofrenia" significa mente (frenia) fragmentada (esquizo) e, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não se trata de uma doença de "dupla personalidade".

Exitem diferentes subtipos de esquizofrenia (paranóide, desorganizada, catatónica, indefrenciada e residual). Os doentes esquizofrénicos sofrem delírios, alucinações, possuem um discurso e comportamento desorganizados, para além de apresentarem os chamados sintomas negativos (diminuição da quantidade de fala, apatia e por aí fora). 

Eu também tinha a ideia de que os esquizofrénicos possuiam mais do que uma personalidade, mas não é verdade. A existir, esse quadro corresponderá a uma outra doença. 

Há quem diga que o Fernando Pessoa sofria desta patologia, explicando assim os seus diferentes heterónimos.. eu já achava essa justificação completamente estúpida (queriam tirar o mérito ao senhor?) mas agora tenho a certeza de que não pode ser verdade.

Já agora, se vocês pudessem escolher uma outra personalidade para além da vossa, qual/como é que seria?



Inté*

13 comentários:

Ju disse...

Tive um colega no Secundário que tinha esquizofrenia, tinha com cada ataque às vezes, coitado, é claro que muitas vezes nos riamos, mas não tinha piada nenhuma...

Eu gosto da minha personalidade, mas a alterar gostava de ser uma pessoa menos stressada e que tivesse coragem para falar tudo aquilo que pensa no momento!

Audrey Deal disse...

Eu acho que conheço uma pessoa com esquizofrenia, ele às vezes atira-se para o chão e começa a espernear e a bracejar imenso...

Estudante disse...

Ju: imagino que não seja nada bonito de se ver :\

Audrey Deal: pois... assim pela descrição, não faço ideia :P a primeira coisa que me veio à cabeça foram convulsões x)

Paula disse...

Aprende-se muito por aqui! Bjs =)

Jessy disse...

Não conheço ninguém
Beijinhos e um bom dia :)

Estudante disse...

Paula: às vezes :P

Jessy: felizmente, diria eu x)

ateaoscem.com disse...

Está explicado... o Passos pensa que dá a volta a isto...é esquizofrenico.

Eu gostava de ser alguém rico tipo o Richard Branson, ou algo assim

somaijum disse...

Eu estou muito bem com a minha. Se pudesse escolher alguma coisa, escolhia a bolsa do Belmiro de Azevedo, mas mantinha a minha personalidade.
Curioso é que agora parece que está na moda ser bipolar. E as pessoas fazem questão de o manifestar nos blogs, como se isso fosse uma espécie de título académico ou, melhor, um dom adquirido ainda na barriga da mãe. xD
E, vai-se a ver, a maioria nem se deu ao trabalho de pesquisar a diferença entre ser bipolar, ou ser uma parva chapada. ahahah

Estudante disse...

XL: ahaha xD vai-se a ver e é mesmo! Ora bem ;) boa escolha!

somaijum: moda do bipolar? x) ainda não dei conta! Tenho de estar mais atenta :P

anokas disse...

Obrigada Estudante!

Eu se pudesse escolher, gostava de ser daquelas pessoas que conseguem sorrir sempre e que à primeira vista parecem logo muito simpáticas.

Não sou assim, mas olha, paciência :)

Lita disse...

Conheço um Senhor que é esquizofrénico. É uma situação extremamente dolorosa e dramática para ele e para a familia. Sem medicação pode tornar-se extremamente violento. com medicação fica em estado quase vegetal... No dia que os pais lhe faltarem, não sei como vai ser.

Conheço um outro rapaz que é bipolar. Aquelas pessoas que se dizem por aí que são "bipolares" e que têm orgulho nisso. Que têm "mau feitio" e ainda bem que o têm, não sabem mesmo nadinha do drama que é esta doença.

Por volta dos 21 anos tive um quadro depressivo. Na altura, o psiquiatra que me medicou e acompanhou, disse-me que eu estava a desenvolver uma neurose.
Fiz o tratamento conforme ele indicou, e comecei a sentir-me melhor.

Mais tarde, aquando do meu divórcio, voltei a pedir ajuda a uma psicóloga. Contei-lhe o quadro anterior. Expliquei-lhe que na altura só tinha feito o tratamento (à base de antidepressivos) receitado pelo psiquiatra, que nunca tinha feito psicoterapia, e que ainda não tinha percebido muito bem o porquê do meu estado depressivo daquele periodo. Na altura (aos 21 anos, ia mudar de emprego e ia casar. Comecei a sentir-me ansiosa com essas mudanças na minha vida, mas acho que isso por si só não justifica ter começado a desenvolver pensamentos morbidos e uma autêntica fobia a "ter medo de perder o meu controlo e matar alguem". Básicamente, eu tinha medo de entrar tipo em "transe" e fazer disparates.

A psicóloga disse-me que eu estive praticamente a tocar a linha da esquizofrenia...

O certo é que já lá vão 20 anos, fui mãe, a minha vida deu muitas voltas e reviravoltas e nunca mais senti aquele tipo de angustias e medos.

Não sei sinceramente onde me enquadrar. Tenho lido muita coisa sobre doenças psiquiatricas, e chego à conclusão que, todos, mas mesmos todos, de alguma forma, temos um disturbiosito qualquer. Há que saber lidar e viver com isso. E saber pedir ajuda imediata.

somaijum disse...

Lê os perfis das gajas. ahahah

Estudante disse...

anokas: de nada, ora essa ;)

Lita: não sei se todos teremos um distúrbio, mas sem dúvida todos temos propensão a desenvolver algum :P eu sou completamente a favor da psicoterapia, acho que nunca se devia medicar um doente sem tentar a psicoterapia primeiro. Desejo-te muitas felicidades ;) obrigada por partilhares a tua experiência!

somaijum: mauzinho x)