quinta-feira, 20 de outubro de 2016

É o progresso!...

Por razões logísticas da construção civil, cortaram quase todas as árvores da minha rua, que agora parece um corpo nu, anémico e desventrado,  com todos aqueles canos e buracos no chão. É o progresso, certamente. Melhorar as infraestruturas para que estejamos mais confortáveis em casa porque, com este triste cenário, quase não vale a pena sair à rua.

Quanto a mim, gosto do verde (clubismos à parte), e das sombras no Verão. Cá por casa, há quatro plantinhas que são alvo de todo o meu cuidado. Regar, trocar os vasos, aparar, pontas secas, procurar dar-lhes luz suficiente (lá vão elas ao colo, ora para a sala, ora para a cozinha), são tudo tarefas levadas a cabo com muito carinho.
Uma delas é uma orquídea e é o meu orgulho. Tão delicada, melindrosa até. É assim, uma espécie de filho mais fraco da ninhada. Acho que tem sido feliz porque, de tempos a tempos, presenteia-me com novos rebentos que eu espreito todos os dias na ânsia de os ver crescer.

Pessoalmente, dar-me conta de como o cuidado que lhes dedico as faz crescerem tão bonitas, é muito gratificante. Acredito que deva ser mais ou menos a sensação que experimentam os pais ao testemunharem o crescimento feliz dos seus pequenos embora, claro está, numa escala imensamente maior!...

No fundo, ter filhos é plantar pequenas florinhas, não é? A história da sementinha não era completamente descabida...


Inté*

E eu que gosto tanto de flores e plantas e como vegetais, já viram? Que vira casacas...


7 comentários:

Maria disse...

as arvores, flores e arbustos dão um ar mais bonito a tudo :)

Zé do Pipo disse...

Eu adoro tudo o que é verde, menos o Sporting eheheheheheh.
Só tenho uma filha, um pouco por opção e um pouco por azares da vida... mas tenho uma varanda com o dobro da largura das varandas normais, onde tenho desde a salsa e os coentros, a um loureiro e duas oliveiras. Pelo meio ficam as Hortênsias, as sardinheiras, as roseiras (que devem andar malucas com o aquecimento global e esta semana resolveram dar mais meia dúzia de botões). Tenho também duas árvores tropicais (dizem que são figueiras da Austrália...) que comprei muito pequeninas e que agora, apesar de "envazadas", têm o tronco mais grosso do que a minha perna (não crescem muito, mas estão bonitas na mesma).
Este verão gastava 20 litro de água de manhã e outros 20 litros à tarde. Para as férias tenho uma rega gota-a-gota.
Enfim, como uma grande parte dos portugueses, sou uma espécie de agricultor desenraizado. No Brasil seria mais um "Sem Terra". eheheheh

Estudante disse...

Maria: sem dúvida! ;)

Zé do Pipo: uau :D que giro! Isso é maravilhoso! Eu também tenho duas varandas e gosto muito de flores e dessas coisinhas. Mas, como tenho de mudar de casa, optei por não apostar muito na jardinagem, porque depois tinha que levar os vasos todos comigo :P

Lápis Roído disse...

Oh, mas tu não és progressista. Queres é árvores e plantas e essas coisas. Ai, ai! Para onde caminha este mundo com pessoas como tu? Esses senhores que limparam as árvores todas da tua rua deviam ir aí a casa para saberes o que era bom para a tosse! Era para aprenderes a desrespeitar a natureza como deve ser!

Estudante disse...

Lápis Roído: se esses senhores viessem cá a casa, só não levavam com um vaso na moleirinha porque eu tenho pena das flores... mas há por aqui outras potenciais armas de guerra ;)

Patrícia S. disse...

"No fundo, ter filhos é plantar pequenas florinhas, não é?" ---> Momento de pura poesia. ahahah

Estudante disse...

Patrícia S.: :D