sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Preciso da vossa ajuda...

Com certeza já nos aconteceu a todos, mediante uma reclamação acerca de uma coisa qualquer, ouvirmos um: "há pior!". E pronto, levamos com esta resposta como se, de alguma maneira, quisessem legitimar a falta de qualidade apontada com o facto de existir uma situação ainda mais degradante. Parece que o facto de haver pior, melhora aquilo que é mau. Ora, isso não é verdade; o que é mau é mau, independentemente de haver algo, com muita pena minha, que consiga ganhar em negatividade.

Eu acho extraordinário este argumento do "há pior" porque quem o utiliza, raramente tem realmente a certeza de que haja pior. E além disso, nós queremos estar mais próximos dos melhores ou dos piores? É que um mau que diz que ainda há pior, parece estar a esforçar-se arduamente para alcançar esse título... assim numa espécie de luta diária para ser (e desculpem-me a expressão) a merda no pedestal.

Mas que raio de ideia é esta? Alguém me explica?



Inté*

13 comentários:

Sci disse...

Também não consigo entender esse fenómeno... parece uma espécie de prémio de consolação ou uma desculpa.
Outra variante disso que também me tira do sério é quando apontas alguma característica negativa de algo ou alguém e te respondem logo "mas o não sei quem também faz!" ou "o outro também é assim!". Como se o mau comportamento de um fosse justificado pelo de outrem.

Estudante disse...

Sci: essa variante também é boa :P que infantilidade, não é?

Paula disse...

Ahahahahah! é mesmo como dizes, em vez de querer ser melhor, tenta-se justificar a mediocridade.... à boa maneira portuguesa.

Andreia Morais disse...

Gostava de conseguir explicar, mas também não sou capaz de entender -.-

r: São mesmo!

Lápis Roído disse...

Esta cultura está enraizada na nossa maltinha desde o tempo do Judas a cagar no deserto (Tu puseste merda no pedestal. Eu também posso pôr o Judas a cagar no deserto, olha! :P). O português é assim: fulano partiu uma perna e teve muita sorte porque podia ter partido as duas. Acho que já não há nada a fazer. Tendem sempre a aproximar-nos dos que estão pior que nós e nunca a apontar os que estão melhor como o exemplo a seguir. Não sei se será a tentativa desesperada de nos reconfortar a alma com desgraças alheias (naquilo que isto puder ter de motivador). Comigo não resulta.

Estudante disse...

Paula: é isso!

Andreia Morais: pronto, o que conta é a intenção ;)

Lápis Roído: em questão de saúde, eu ainda acho que é um raciocínio tolerável :P isto é, não me parece mal de todo que a pessoa pense que é melhor ter partido um braço num acidente de carro do que ter morrido (há pessoas que morrem! Há pior!). Acaba por ser uma forma de defesa (desde que parta da própria pessoa, claro, e não seja o vizinho a tentar consolá-la dessa maneira) :) o que acho realmente estúpido é quando se aplica este tipo de raciocínio em termos de serviços, de produtos e outros que tais ;) e nesse caso, acho tão errado que seja o prestador do serviço a justificar-se com um "há pior", como quando é quem usufrui desse serviço a cair nessa forma de conformismo :P

S* disse...

É como quem diz "não te queixes que podes ficar pior". Estranho.

Estudante disse...

S*: Ahah :P tal e qual!

Portuguesinha disse...

Sabes, tinha comentado aqui. Até comentei de forma abrangente, fazendo uma análise relacionada com a evolução social. Daí ter ligado lá no meu canto este teu post a outro tema, e depois, nos comentários, a este acima. Está tudo inter-ligado. Confuso? Pois, agora está, ehehe. Mas acho que nesse dia andei com problemas com a publicação dos comentários em blogues, daí a ausência:)

Bjs (dos do online) :P

Estudante disse...

Portuguesinha: ahaha :D não há problema nenhum! Está tudo interligado :P Bom Domingo!

Zé do Pipo disse...

A merda no pedestal, é o máximo. eheheh
Este hábito torna-se mais estúpido quando alguém parte uma perna e outro diz logo:
teve sorte, podia ter partido as duas. Fulano teve um acidente e morreu: teve sorte, se ficasse paralítico era pior.
O português é o povo com mais sorte do mundo. xD

redonda disse...

Ups e eu a escrever em cima que consegui pior a fechar o guarda-chuva...sorry...

Estudante disse...

Zé do Pipo: boa conclusão :D

redonda: ahahah :D não é exactamente a mesma coisa ;)