domingo, 23 de outubro de 2016

Remendos

Cá em casa há uma caixa de costura porque é preciso remendar as coisas. Cosem-se buraquinhos, pregam-se botões, recose-se o que, por algum motivo, se descoseu. Há sempre aquela tentativa de substituir o "velho" e o "gasto" por outras peças novinhas em folha, sem retoques, sem cicatrizes. Mas o remendado não deixa de ter um certo encanto, não acham? Há qualquer coisa ali que nos remete para o passar do tempo, para uma história... que nos recorda a resiliência perante as adversidades que vão deixando pequenos buracos e imperfeições.
Ao fim e ao cabo, até nós sofremos alguns remendos ao longo da vida - mal de nós se assim não fosse! Vivermos até à morte tal como viemos a este Mundo, imutáveis, sem uma correcção, sem uma mudança de rumo. Quando as pessoas batem à porta dos nossos dias, trazem com elas todos os seus remendos: memórias, cicatrizes, traços que são só delas. E são mais bonitas, por dentro e por fora, se forem assim, com histórias por contar. Tão bom quando juntamos remendos!...



Inté*

PS: vocês são mesmo boas pessoas... o meu post anterior não deixa de estar revestido por alguma ironia e exagero, inerentes a qualquer caricatura. O episódio que vos descrevi, foi um episódio caricato e que nos valeu valentes gargalhadas, mas vocês focaram essencialmente, o lado sério da coisa. A "revolta" que mencionei não é por acaso que está em itálico; não nos podemos revoltar sempre quando as coisas correm mal, se seguem o esperado e expectável. Por vezes, a expectativa desmedida e a esperança irreal são mais prejudiciais do que benéficas. Já aprendi a não me revoltar tantas vezes e a aceitar em Paz o rumo de muitas coisas.

16 comentários:

i. disse...

Ohhh, que metáforas e comparações bonitas! :)

Gaja Maria disse...

Tens toda a razão. Não temos nós todos bastantes remendos? Se nos deitarem fora para terem novos, o que será de todos nós?

Mari disse...

Tens toda a razão :)
Cá em casa remenda-se, aperta-se, alarga-se e reutiliza-se.

As pessoas também se adaptam n é assim?

redonda disse...

Eu apenas tento a sorte com botões, e para o resto vou a costureiras, mas quando as peças voltam, tão perfeitas, é como recuperar velhos amigos :)

Estudante disse...

i.: obrigada :)

Gaja Maria: ora bem ;)

Mari: as pessoas adaptam-se claro :) e nós adptamo-nos a elas também ;)

redonda: boa comparação ;)

Lápis Roído disse...

Isto é muito bonito. Uma comparação tocante entre aquilo que somos e aquilo que usamos com remendos. Todos nós temos remendos e também não queremos ser atirados para o lixo, não é verdade? ;) Tu és muito boa nisto mesmo!

Pedro Coimbra disse...

Mesmo com remendos a vida é para ser vida intensamente.
Boa semana

Chic' Ana disse...

Gostei imenso de todas estas comparações. E enquanto os remendos puderem ser feitos, que o sejam, com todo o orgulho!
Beijinhos

Estudante disse...

Lápis Roído: claro que não :P as pessoas não são feitas para o lixo ;) Ahaha! Faz-se o que se pode :P

Pedro Coimbra: nem mais ;)

Chic'Ana: exactamente :)

Teresa disse...

No fundo, os remendos são o que nos tornam especiais!
Cá em casa, remendam-se coisas simples: botões, buraquitos...

Miúda disse...

Sou remendada constantemente com as aprendizagens que a vida me tem trazido :)

D. disse...

Tão verdade... Quem não tem remendos? Ou porque arriscou, ou porque apenas vive ao máximo aquilo com que é "presenteado"?
Confesso que gostava de ter menos uns remendos, mas a verdade é que eles fazem parte de mim e fazem de mim aquilo que sou. :)

Estudante disse...

Teresa: :)

Miúda: ;) é bom sinal!

D.: exactamente :)

Zé do Pipo disse...

Era bom que todos nós nos apresentássemos ao mundo sem vergonha dos nossos remendos e das rugas, sem pretensões a sermos mais do que somos, sem maquilhagem nem photoshop...

Estudante disse...

Zé do Pipo: sem dúvida :)

Paula disse...

Penso como o Zé do Pipo!