sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Ideias

Aqui há uns dias, o meu tutor dizia que "as Religiões dividem as pessoas".
Não é uma ideia que eu nunca tenha ouvido, mas é uma afirmação com a qual discordo completamente. As Religiões, no seu âmago, apelam à Paz e à união entre as pessoas. Aquilo que as pessoas fazem com a sua religião, e a forma como a usam para justificar os seus actos, é outra conversa. Quem quiser optar pelo mal, encontra sempre pretextos, mais ou menos estúpidos, para segregar as pessoas: a cor da pele, a língua, o ordenado, a carreira...

Imaginemos as religiões como um amontoado de pedras. Uns, utilizam-nas como armas de arremesso; outros, constroem muros e há quem construa pontes. Onde está o factor de variabilidade? Nas pedras?...




Inté*

11 comentários:

nósky disse...

a frase é que a fé une as pessoas, as religiões é que as dividem :) e faz sentido é dita assim. agora como ele disse claro que também discordava.

A Nossa Travessa disse...

ORÇAMENTO PARA 2017
Daqui dos lençóis do leito matrimonial do 2.º andar Esq. do imóvel n.º 12 da Rua José da Costa Pedreira 1750-130 Lisboa (com todas as taxas regularizadas incluindo o IMI) venho informar-te de que, por mais que te pareça estranho publiquei ontem na NOSSA TRAVESSA – http://anossatravessa.blogspot.pt – um textículo curto sobre os tratos de polé que tem vindo a sofrer o “desgraçado” ORÇAMENTO PARA 2017. Aos abrigos!!!!

Aguarda-se a todo o momento a chegada de especialista especialmente contratado e em rigoroso exclusivo para resolver de uma vez para todas estas filhas de putice!!!!!!! Entretanto procura-se, morto (de preferência) ou vivo, Blloger com aspecto muito duvidoso – como sempre. Dão-se alvíssaras (em Rupias).

Henrique, o Leãozão

Estudante disse...

nósky: ele não estava a citar nenhuma frase em concreto :) é uma opinião que ele tem... Fé e Religião, não são a mesma coisa. Mas os alicerces das Religiões, no geral, são bons; são fundados em bons princípios. Nós é que temos tendência para distorcê-los ;)

A Nossa Travessa: lá farei uma visita para ler o seu texto ;)

Andreia Morais disse...

Não é a religião que divide as pessoas, o que as divide é mesmo a forma como utilizam a religião para justificar os seus atos.
Concordo contigo!

Gata disse...

Pois... no meu caso, tenho Fé, mas prefiro não seguir nenhuma religião. Nunca gostei. O sentimento de pertença a uma religião em algumas pessoas é tão forte que provavelmente é aí que há essa divisão, o que sempre me desagradou.
Bjs

Teresa disse...

Religiões...fé...ando muito afastada disso.
Gostei, no entanto, da analogia das pedras!

Lápis Roído disse...

No fundo, é tudo uma questão de calhaus. O pior é que andam para aí bastantes com olhos e pernas a usarem as religiões para espalhar o ódio. Vidas!

Estudante disse...

Andreia Morais: :)

Gata: é uma perspectiva interessante ;)

Teresa: :)

Lápis Roído: é isso ;)

Zé do Pipo disse...

A minha teoria diverge no ponto em que, para fazer o bem ou o mal, não preciso de ter religião.
Dizia (salvo o erro) Mao Tsé-Tung, que a religião é o ópio do povo.
Eu vou mais longe e digo que a religião é o combustível da ignorância.
Não é a religião que faz as pessoas boas ou más, mas é quem está por trás da religião e a usa para manter o povo na ignorância, porque só ignorantes acreditam que a religião dos outros os faz pior do que eles.
Como acredito que só se cura o mal, cortando o mal pela raiz, termino com a palavra de ordem:
Abaixo a religião e a quem a apoiar. eheheheheh

Estudante disse...

Zé do Pipo: sim, é verdade :) a religião não faz de ninguém bom ou mau :) eu estava a referir-me mais especificamente, à discriminação das pessoas. Quase tudo pode ser usado para discriminar as pessoas...
Não concordo contigo que a religião seja o combustível da ignorância mas acho mais provável que sejam os ignorantes a usá-la como desculpa para prejudicarem os outros ;)
A tua palavra de ordem é muito radical :P quase tão radical como as usadas pelos extremistas religiosos ;)

Portuguesinha disse...

concordo.
Não sigo nenhuma religião mas entendo que pessoas de bem (aka religiosas) praticam o bem, querem o bem, não espalham o mal. O núcleo é bom, o que depois a massificação desse sentimento acaba por se transformar, é outra coisa diferente. dizer que assassinos terroristas são religiosos é insultar a religião. eles são outra coisa, escudam-se na religião para se desculparem aos olhos daquele que os julgará.